terça-feira, maio 05, 2009

Maio meu, mas


Um dos meus meses preferidos, mas.
O "mas" tem cheiro de rosas no caminho de terra, encontros, celebrações.
Chegam demasiado perto e vêm de longe, os passados que me invadem.
***

Os dias em que apetece sentar.
Com uma parede de vidro à prova de palavra.
Onde passam reflexos: ver para fora e não se ver para dentro.

(alguém que tenha uma paisagem)
???

Ficar, simplesmente.

21 comentários:

mdsol disse...

Também é um dos meus meses preferidos. De muito pequenina me ficarm as flores de Nossa Senhora (flores pequeninas, brancas, que nasciam entre as pedras dos muros) e a alegria de ir ao mês de Maria ao fim da tarde (única cerimónia religiosa que me parecia alegre e de onde não saía amarfanhada). Ao tempo, e muito antes de me situar fora de tudo isto.
beijos

(gosto tanto dos teus comentários!)

Teresa Durães disse...

Também gosto deste mês. O mês em que a mãe natureza está na sua força total e as comemorações têm lugar. O dia da espiga que, pena minha, não posso ir apanhar. Compro mas não é o mesmo

mena m. disse...

Também para mim um mês especial e que me vai trazer dentro em pouco um menino pequenino!

Beijos

legivel disse...

.. queres paisagem melhor que essa que aqui tens?!

"Um corpo de mulher anónima com uma manifestação de revolta dentro de si."

Poder-se-á perguntar "Mas... onde está a cabeça dela?". É fácil. Não se pode estar com uma única cabeça em dois lados diversos: no momento, o corpo pedia-lhe que se manifestasse. A cabeça tinha ficado um pouco atrás, invadida de passados.

(Se não me safei, paciência. Que o exercício não era simples e as telas estão ao preço da lagosta suada.)

Beijinhos e sorrisos.

Lola disse...

Bettips,

Em Maio a vontade de sair do escuro do muito lá dentro e o conforto de adiar.

A paisagem é linda: o mar em fundo, alguma brisa leve a levantar o cabelo, o barulho das ondas e das gaivotas.

Em frente ao mar na Foz.

E se estiver frio, um café junto ao Homem do Leme.

Beijos grandes

Arabica disse...

Bettips,


todos os vidros de horizonte largo e zenite a fitar.

:)
Todos os vidros reflexos todos os vidros de luz, neste maio de céu imenso.


Xi-coração :)

Madalena disse...

"Chegam demasiado perto e vêm de longe, os passados que me invadem."

Curioso, como tu defines assim a história dos meus Maio(s). Porque é que isso já não me surpreende?

Passei por saudades tuas.
Beijos.

vida de vidro disse...

Maio traz-me sempre o aroma das flores, os passeios pelos campos, a despedida do Inverno. Talvez seja necessário haver assim um mês em que só queremos ver para fora... **

jawaa disse...

Maio é o mês das rosas... quando a Primavera explode em flores.
E eu gosto tanto delas!
Um abraço grande

Mr. Lynch disse...

Bettips;
Com as tuas palavras uma imagem se pinta, com a imagem que connosco partilhas, um post se ilustra. Mais imagens para quê, cara amiga?
:)*

heretico disse...

ver para fora... como quem constrói paisagens. habitadas. para recolher outonos.

(ficar doi por dentro).

beijos

WOLKENGEDANKEN disse...

Que foto interessante, querida Bettips !! Ver o mundo exterior filtrado por uma loja de luxo ou ver o mundo como reflexo de tal loja ..... ou nao ver o mundo por causa da loja..... Ha muitas possibilidades ....

Mas é verdade que o mes de maio é um dos meses mais autenticos, pode-se ignorar tal loja com facilidade ....

beijinhos

Licínia Quitério disse...

Ou ir...
Há sempre uma paisagem que nos contempla.

Beijo.

Justine disse...

Há sempre um "mas", amiga! Nos meses, nas alegrias, no passado, nas paisagens. Nos regressos.
Beijo de regresso:))

segurademim disse...

... maio sem mas

simbolismo do trabalho, da força, da renovação, do sonho, dos resultados, da luta


e são tantas as paisagens

Alien8 disse...

Bettips,

Não há quem não goste de Maio. Digo eu...
Não há quem não goste desse vidro, dessa foto, dessas palavras, desse olhar.

Um beijo.

Rosa dos Ventos disse...

Como eu te entendo!

Abraço

Paulo Araújo disse...

Bettips:

Peço desculpa por usar a caixa de comentários para te deixar este recado, mas não vejo outro modo de o fazer. É que saiu agora um livro meu com textos e fotos do (defunto) Dias com Árvores. Dou-te mais detalhes se me escreveres para paraujo(at)fc.up.pt.

Abraço,
Paulo

Meg disse...

Bettips,

E pelas entrelinhas das tuas palavras me vou tentanto aproximar dos escaninhos da tua alma... duma sensibilidade extraordinária.
Quem me dera a mim tantas vezes, essa redoma de vidro à prova de palavras!

Um beijo

Maria P. disse...

Mas, é Maio, apesar de...

Beijinho*

jl disse...

"Chegam demasiado perto e vêm de longe, os passados que me invadem"... (ansiedade, parece). Mas logo apontas o remédio mais eficaz: "Ficar, simplesmente"!