sábado, agosto 13, 2016

Pássaros e gato do Centro

E




dado que o gatinho envelhece, os fumos são mais a norte...
uma pausa de pássaros "amigos",
num lugar comum de quem se preocupa com eles.

sábado, julho 16, 2016

Pássaros do Sul V

Sabia das cegonhas o bico e as asas que transportavam os bebés. Os que imaginava virem de Paris - estou a ver a imagem - e pousarem no jardim ali ao pé. Esta era a que "imaginava":

Depois, esqueci "ela" e via com curiosidade os símbolos das pequenas crias, sôfregas, a comerem do bico das mães. Seria o logótipo do Montepio???, da Misericórdia ???, não vou procurar. Mas, uma vez muito mais tarde, se deu um presente da Vista Alegre, um objecto-garrafa de cerâmica, caríssimo, com uma mensagem que eu escolhi: uma ave, três filhos malcriados e prepotentes que a tudo tiveram direito.
***
Neste caso, aqui e agora, as belas famílias das "simplesmente cegonhas"!









E a garça com graça que sempre passa...


Se, fora do meu sítio sinto falta das minhas coisas de casa, neste meu lugar de estar, tenho imensas saudades dos azuis e verdes, das estrelas e das ondas, do ESPAÇO onde perder o olhar.


Pássaros do Sul IV

Há alguns anos que frequento o mesmo sítio, ora Primavera-ora Outono.
Quando chego, chegam andorinhas - passo sem elas no Verão - quando parto, partem elas.
Tiro fotografias a coisas idênticas, vejo-me em lugares que já conheço, vou ao restaurante comer as mesmas comidas, ver o mesmo mar, dou os mesmos passeios.
Parece-me impossível encontrar sempre aspectos tão diferentes. E até descobrir "outros" que me tinham passado despercebidos.





Este é o único CC onde vou com (algum) prazer, o único que me satisfaz de horizontes e (de)menos multidão.


 São filhos de pássaros conhecidos.
 Tenho tanto gosto em os poder rever!

quinta-feira, julho 14, 2016

Pássaros do Sul III

Mera(a)mente
e literal(a)mente, a olhar, a descobrir, a invejar-lhe a asa, o canto, a suavidade da pena,


dos passos,

o infinito, a vista lá de cima.









quarta-feira, julho 06, 2016

Pássaros do Sul II

Perto de casa temporária: todas as manhãs de melro, tão contente e desafiador!




Nos outros lugares de águas, as elegantes que sempre revejo





O galo atento, as mulheres distraídas...






Pequenos mundos a que voltarei.

terça-feira, junho 14, 2016

Meados de Junho

Os meus pássaros do Sul.
As pedras, águas, as estradas pelos montes adentro.






Tantas as coisas que me prendem olhos e sentidos.
Como se a primeira vez fosse sempre esta.
O espaço, sim, é o espaço que me fascina.