sexta-feira, outubro 15, 2010

...de entrar na pressa das chegadas









Atravessar tantas, as pontes...

No lugar das águias da manhã, estremece o véu da Via Láctea à noite. No meio dum céu amplo e profundo, assim voam em círculo as lembranças dos meus amados.
Gostaria de pensar nos espíritos dos meus (e de todos) mortos, brilhando os seus olhos no tempo, vendo-nos com algum modo de amor, ou saudade, ou arrependimento, seguindo-nos nas veredas terrenas.
Mas escavacaram a Lua, sondaram Marte, espreitam os anéis de Júpiter, descobrem todos os satélites de Saturno. E também em nós, fica um buraco negro de não-saber.
Talvez para lá deste sistema, o solar, estejam os olhares que recordamos: reparo nas tantas estrelas, assim esperançada!
Pela noite alta, ficam-me os olhos em choro e pedra, manietados, o gesto preso como nas velhas estátuas.

10 comentários:

Justine disse...

Por mais que façam nunca nos tirarão as ilusões, os sonhos, o mistério da noite e das pedras. Como tu bem sabes:))

Licínia Quitério disse...

O não-saber é talvez o que nos faz caminhar, sempre, sempre, até ao fim dos dias. Nada sabendo tudo podemos procurar. Sábios só os deuses, diz-se, guardadores dos grandes segredos. Alegremo-nos com a nossa condição de humanos, viventes e mortais. Os nossos mortos estão connosco enquanto deles tivermos memória. Por muito que doa, também nós faremos a viagem sem retorno. E também nós continuaremos na casa da memória dos que ficarem e nos amaram.

Pronto. A conversa está a ficar pesada.

Tchim-tchim pelo teu regresso, Amiga.

Beijo.

jrd disse...

Que bom, regressar a galáxia no voo das águias.
Abraço

M. disse...

Comoveste-me.

jrd disse...

De novo aqui para dizer que vou 'guardar' a passadeira, que acolheu os teus passos no bth.
Obrigado.
Um abraço

heretico disse...

abissal. o voo das águias!

saudo o regresso.

beijo

Frioleiras disse...

por aqui.............ainda se voa..

é bom

mt........................

Mar Arável disse...

Bem-vinda de novo

à minha escarpa

ao ninho das águias

rach. disse...

Um regresso belo, muito belo. Diria mesmo comovente. E acredita que os Deuses sabem.

Um beijo.

hfm disse...

Belíssimo texto!