quarta-feira, março 12, 2014

Hábitos de Inverno II

E, enfim, a cidade. Das maravilhas que sei, das casas abandonadas, dos horizontes cortados abruptamente pelos prédios sem remédio.
Este foi o lugar onde nasci e onde sinto uma aspereza que às vezes se adoça.
Com sentimentos conhecidos e camélias, também.













6 comentários:

jrd disse...

E porque não uma Cidade das Camélias.

Abraço

Teresa Durães disse...

Que lindo edifício. O que é?

micael disse...

Vou seguir este blogue com regularidade, através do meu blogue: http://geia-deusaterra.blogspot.pt/

Bom fim de semana
Artur Micael amaral

heretico disse...

lugar(es) em que se respira...

abraço

O Puma disse...

e assim se respira
em pleno voo

Justine disse...

Tão bela a tua cidade, minha amiga! Já tenho saudades de um passeio sem pressa pelas ruas sinuosas...