quarta-feira, agosto 26, 2015

Paris au mois d'août 2

Levantar a manhã para o alto, para o céu aberto,

entre as nuvens de mudança,


como se existisse o paraíso dos anjos nas molduras velhas,

os caminhos do coração que nos levam do próximo ao próximo,
muitas horas e milhares de miragens depois, aterrar junto ao mar, o Atlântico, o largo mar da casa nossa.

4 comentários:

Mar Arável disse...

Sempre o largo mar

Bj

heretico disse...

"home, sweet home..."

(apesar de Paris e da dulcíssima língua francesa...)

beijo

Teresa Durães disse...

Se anjos existem, não sei, mas os Deuses estão escondidos por essas alturas, os Homens esqueceram-nos. Procura-os, vais senti-los!

Rui Fernandes disse...

Grandes passeatas, não é? Cuidado com os deuses da Teresa, não vá entrar um pelo motor adentro. Beijos.