sexta-feira, agosto 31, 2007

Família em Condomínio Aberto












Enquanto esperava. Não é a primeira vez que vou àquele lugar, forçando um pouco o acaso.
É o Bloco Águas Livres, dos arquitectos N. Teotónio Pereira e B. Costa Cabral, construído entre 1953 e 1955.
Referência nas escolas de Arquitectura como construção urbana, encantou-me a descrição que um dia li no Jornal Público, numa coluna de Catarina Portas. Apontamento que entretanto perdi nos meus papéis e tenho pena.
Verdadeiramenre revolucionária para a época, a ideia de prédio (de habitação, escritórios e comércio, tudo bem delimitado) com todos os requisitos necessários à vida de famílias.
O lugar é encantador, com vistas que imagino extensas. Por fora há apontamentos de arte, algumas pequenas esculturas alegres nas paredes; o todo não é ostentatório mas antes harmonioso.
Sem paciência para procurar a revista que o descreve (Arquitectura nr. 65) e sem grandes dados conseguidos aqui pela net. Pessoas não conheço; se conhecesse pedia para entrar e ver. Assim, limitei-me a olhá-lo, com gosto, em contradição com os condomínios fechados que se anunciam, nas cidades e vilas.

Lembrei-me ao ver esta família de gatos que por ali vive, parecendo feliz, sossegada e bem tratada.
Em condomínio aberto.

34 comentários:

Maria disse...

Conheço a zona. É aprazível, sim, e destaca-se de outras zonas construidas na mesma época exactamente por essas pequenas esculturas nos prédios.

Os bichanos têm um ar feliz. Sempre à procura da sombra, ou não fossem eles animais espertos....

Beijinhos

Meg disse...

De férias, enfim... para te ler, e, com o dia 23 presente cada dia, à espera de tempo e... cabeça.
Voltarei, já, já...
Beijinhos

Teresa David disse...

Que delicia os gatos e as flores. Curiosamente a foto da alfazema fez-me lembrar uma história que te contei passada na Itália. Lembras-te?
Sempre a tua sensibilidade e bom gosto em alta! Continua assim!
Bjs
TD

herético disse...

na próxima encarnação, quero ser arquitecto!...

belo na sua "eficácia"!

(e ando eu, herético, a falar de política. és uma decidida "guerrilheira" ... rss)

Manuelinho disse...

Temo não conhecer essa zona. Porém, os gatos estão efectivamente com ar muito feliz; logo, os donos tb devem ser.
Bjs

Era uma vez um Girassol disse...

Os gatos parecem felizes e não estão magros!
Lá te vou acompanhando...
Belas fotos!
Bjs

Pitanga disse...

Vai ao Pitanga e diz se no teu tempo também era assim ou eu é que sou matusalênica.

jinhos

viajante disse...

As fotos e o texto fazem-nos sentir muito bem.
Obrigado (também) pelas visitas.
Abraços amigos.

hfm disse...

E eles podem-nos dar lições fora dos "ghettos".

M. disse...

Quem me dera ter lá estado, pois que é tão bonito o que nos mostras e o que se adivinha para além destas imagens. Como é bonita a expressão "Condomínio Aberto"!

legivel disse...

... o título é um achado. Que os condomínios fechados são da actualidade e servem a vizinhos que se "entendem na sua privacidade" e não a querem ver invadida pelos "outros". É assim que se vão cavando muralhas sociais no tecido urbano dos nossos dias e se dividem as cidades e as suas gentes.
Tenho de lá dar um salto porque não conheço. Pelo que contas e... pelos gatos.

Cá estamos novamente à volta das pessoas e das coisas. Abraço.

Teresa Duraes disse...

Adorei o título´: título versus fotografia! Só tu, sabias? Ainda bem que começaste a arranhar os joelhos.

(o local penso que não conheço mas pelo teu relato é interessante)

bom fim-de-semana

beijos

amigona avó e a neta princesa disse...

Que bem sabe ver estas imagens!
Bom domingo...

jlf disse...

Só conheço de ouvir falar, e de passagem.
Falo do bloco.
Dos gatos... Nem admira a preferência pelo condomínio aberto... Independentes como são!

Da Catarina escapou-me essa "coluna", mas sei que fez parte da equipa de apoio ao António Costa, nesta última eleição, exactamente por mor da "construção urbana"...
(A sorte que essa miúda teve em não ser Sacadura Cabral!...)

Já vi que vais a todas... Até à arquitectura.
(Também gosto. E com motivos para isso, para além do mais).

até...

Sophiamar disse...

Uma família linda onde não faltam as flores. Bichanos e flores uma combinação perfeita. Gosto muito de ambos.
Bom Domingo! Beijinhos

rui disse...

Olá Bettips

"Condomínio Aberto"!
Fico logo com a ideia de que irei respirar ar puro, de independência, liberdade, e um pouco da indolência dos gatos.

Gostei.

Bom domingo
Beijo

eremita disse...

As suas fotos são excepcionais Bettips.
Belas e de grande qualidade.
Mas igualmente o são os textos que tenho lido e a originalidade da perspectiva com que olha o mundo e o VÊ.
Fraterno abraço.

Frioleiras disse...

Bloco Águas Livres, dos arquitectos N. Teotónio Pereira e B. Costa Cabral ... fizeste bem em lembrar !

mac disse...

Não me importava de partilhar esse condomínio com vizinhos tão simpáticos.

jawaa disse...

A tua sensibilidade para as coisas bonitas transparece, quer nos textos, quer nas fotos. Esses bichanos parecem, sim, felizes.
Convido-te a conheceres um parente, mimado até mais não, mas que faz a alegria da dona... (de quem ele é verdadeiramente o dono!): http://monpetitchatgris.blogspot.com/
Um beijo

Paulo disse...

Belas ideias. Conheço bem essa zona e é das mais agradáveis para viver em Lisboa. Enquanto vão proliferando os tais condomínios fechados, Lisboa quer-se uma cidade aberta, mas as pessoas gostam de estar cada vez mais fechadas e guardadas. E assim deixa de haver ruas e praças, para que nasçam urbanizações, lotes, blocos e afins.

butterfly disse...

Condomínio aberto, com muita zona verde. Onde?
De repente veio-me à ideia uns pátios na Graça, alguns com nomes de mulheres, Vila Berta. Lindos!
Condomínios fechados com coração proprio.
As tuas fotografias estão muito boas.
Beijo

Meg disse...

Olhando para estes bichanos lindos, só me apetece dizer...
Tá-se bem!!!
E a criança tenta a porta da rua, muito descalça e insegura.
Camélias para ti. Todas as camélias
num abraço

as-nunes disse...

Simplesmente encantador este condomínio aberto!
Aquele rosmaninho até parece que se sente o seu cheirinho, ao som do ronronar destes gatos, dispersos, cada um no seu canto a tecer loas aos arquitectos que tiveram esta ideia de proporcionar espaços, simultâneamente de trabalho e de repouso, até o espiritual. Fica-se com essa sensação, o que já é um bom passo na direcção duma vida equilibrada.
Bj
António

mena m. disse...

Também eu gosto de entrar neste teu Blog, também ele um Condomínio Aberto, e com o mesmo ar feliz dos gatos de me resfestelar na minha cadeira e me deliciar com os teus textos e fotos!
Não conhecia este Bloco das Águas Livres, encanta-me o nome, da próxima vez que aí estiver, não vou resistir a pedir que me deixem entrar...pois pelo que nos mostras deve ser deveras interessante.
Um abraço

eremita disse...

Olá, há uma coisa para ti lá no meu blog.
Fraterno abraço

JPD disse...

Se há animal que possa transmitir com segurança o sentimento de tranquilidade, o gato é um deles.
Aonde houver agitação dificilmente serão encintrados.

A ideia de condomínios foi boa. Quando eles foram transformados em espaços conc~entricos de feiras de vaidade, arrogância e egoismo, tornaram-se insuportáveis.

É claro que nos Pátios lisboetas houve discussões e às vezes alguma desordem, tudo isso suplantado por grandes festas populares, por grande animação...Mas esses eram espaços populares, nos antipodas dos actuais...condomínios...

teresamaremar disse...

:) beijo

SILÊNCIO CULPADO disse...

Um recanto bucólico que faz esquecer as pressas e o cimento armado. Os gatos estão gordinhos e vivem felizes proque estão num condomínio aberto. Quem vive em condomínios fechados não tem esse ar. Tem poder mas não tem esse ar.
Gostei.

Bandida disse...

fascinantes momentos.



beijo


B.
__________________

maria carvalhosa disse...

Querida Bettips,

Deliciosa esta tua partilha. Gosto do todo do post. Enternece-me, particularmente, a família de felinos e acho o título: "Família em Condomínio Aberto" um verdadeiro mimo.

Já tenho saudades de nós. Sei que me entendes.

Beijos.

nnannarella disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nnannarella disse...

"Encanto encanto...
é vir aqui", e encontrar uma sintonia de afectos e desaires.

Desaires são os papéis, que nos prendem e nos perdem, e que às vezes tenho pena de não perder de vez ...:)

Afectos são os gatos e as flores e plantas e todos os seres-outros sensíveis, ainda que muita gente não pense assim.

E ainda o apontamento de imagem e de tecla, do lugar que não sabias, e aonde ficas com vontade de ir.

Outro prazer, em fim de tarde melancólico de rentrée. Obrigada.:)

Bichodeconta disse...

Que maravilha estas fotos, que bem conseguidas, parabéns, um abraço, ell