quinta-feira, março 27, 2008

Dias de







Talvez porque uma cadeira prometia esperar-me, já antes da chuva
- e choveu desabaladamente -
ou até seria porque passaram os dias todos: da Mulher, do Pai, do Equinócio, da Primavera, da Árvore, da Poesia, da Páscoa
- e não houve nenhum dia de Amigo mas ouviam-se vozes de longe -

Vi que todas as frésias acenavam e eu tomei cuidado: sentia-me embriagada de amarelo

Enganavam-me: era a nova estação que acontecia ou as águas de Março cantadas
- à vista duma casa-abrigo -

34 comentários:

viajante disse...

...à vista um post-abrigo.
Abç

rui disse...

Olá Bettips

Lindas frésias e, deslumbrante amarelo lavado pela chuva redentora.
A magia da nova estação invade todos os sentidos.

Beijinhos

Justine disse...

O Dia do Amigo é sempre que as vozes se ouvem, e não esqueças que há um "Refúgio" com a chave sempre na porta :))

Pitanga Doce disse...

Que linda maneira de encontrar a Primavera...na casa de amigos!

beijos no Outono

Ana Patudos disse...

E as amarelas cheiram tão bem
bjos
Ana PAula

Maria P. disse...

E o amarelo sempre me lembra Maio, os Amigos como tu e todos no PPP, são todos os dias:)

Beijinhos*

Justine disse...

Bettips, vai ao anonimosecxxi e vais ter uma surpresa...:))

Maria Laura disse...

Acho que andamos todos um pouco embriagados de amarelo. Com estas alternâncias de sol e chuva, é o que acontece... :)
Lindas fotos. Não conseguimos mesmo resistir à beleza das flores, nesta altura.

~pi disse...

como se música,

cor densidade e harmonia ~

ângela marques disse...

Quase consigo esquecer a chuva...:)

Bj

M. disse...

Adoro frésias, qualquer que seja a sua cor. Sinto-lhes o perfume aqui.
Bonito o teu modo de falar delas, e não só delas.

Meg disse...

Pois eu sou daquelas pessoas de mau gosto "que adora o amarelo"

Bettips, queria falar mas estou seca por dentro, esta incapacidade de passar pelas coisas e de as trazer agarradas até elas quererem.
Fui onde me mandaste, só fiquei com pena de não ter uma fotografia duma criança cá mais para baixo, sobre os combustíveis.
Estou com a alma do avesso.
Mas vou sentar-me naquela cadeira que tens ali, olhar para as frézias e para as cortinas de renda, aqueles vasos todos... que surpresas terão? Lembras-te, um pesinho aqui uma folhinha ali...
E o chão molhado... que maravilha.

E depois tenho a certeza que vou melhor. Aqui respira-se paz e harmonia.

Beijos para ti

Meg disse...

Enganei-me, lê:
esta incapacidade de passar pelas coisas SEM as trazer....

Desculpa

Bichodeconta disse...

Lindas as flores, adoro flores e sobretudo se forem amarelas.. A chuva também tem os seus encantos.. boa final de semana, um abraço, ell

Magri disse...

Este amarelo de primavera é mesmo embriagante... e facilita os amigos, com ou sem dia.

Feliz primavera e bom fim de semana.

viajante disse...

Porque hoje é Sábado...venho visitá-la.
Com todo o gosto.
Simão

Alien8 disse...

Também gosto das águas de Março. E dessas flores. Vou ali sentar-me um bocadinho, já que a cadeira está vazia.
Bom fim de semana.

O Profeta disse...

Esta é a alma que voa de um Profeta
Ao encontro do teu sentimento
Este é o sal de alva espuma
Que te ofereço e diadema de espanto…

Olhos de alma, da tua alma
Quero-os no cais da minha chegada
Espero por ti em manto de ternura
No encontro da minha caminhada


Bom fim de semana

Mágico beijo

Gervásio Leonel disse...

Olhei, enchi o olho e pensei: "que apetitosas!" É que me pareceram mesmo os ovos mexidos como eu os faço, saborosos a derreterem-se na boca num estrondoso rebentamento pirotécnico de cores, odores, texturas e sabores. "Ah! Diz que são frésias", pensei. Mas eu isso de frésias não conhecia. Que acenavam. Pois que acenem que eu cá não oiço vozes. Tenho outras maluqueiras, mas essa não. Estavam realmente todas vergadas, a fazer a horizontal. Pensei que fora o vento que as vergara, mas não. Seria um cerimonial japonês, um daqueles de "politesse" oriental?

Aquietei os pensamentos e dei acordo de mim e da minha circunstância - partes que somadas continua a dar eu: estava cansado e molhado que nem um pinto (outra vez? Mas afinal as outras aves não se molham?). Mas estava ali uma cadeira! Uma cadeira, pensei, serve para a gente se sentar.

Olhei em volta e, certificando-me que ninguém me estava a ver, sentei-me.

E comecei a pensar nestas coisas todas que se tinham passado comigo e de como haveria de as escrever para tas mandar hoje embrulhadas num raminho de beijinhos.

Perdido disse...

Nem queria acreditar: o Gervásio passou-se. Ele anda a apanhar o meu estilo. Dá-me ideia que lá pelo Brasil algo ou alguém lhe deu a volta à cabeça. Adiante! Lindas flores. É claro que o amarelo é bonito, é a cor que anuncia a Primavera. A cadeira, espantosamente, assemelha-se a um recorte que evidencia as cores naturais do fundo da fotografia todas em matizes variegados de verde.

jlf disse...

Por acaso enganavas-te: postaste num dia de amigo, cuja voz se misturava entre as vozes que de longe se ouviam...
Cor inebriante, de facto. Uma das mais predominantes da natureza. E ela não tem mau gosto, muito ao contrário.
Mas registei mais: a cadeira e a casa-abrigo que nos convidam.
E mais.

Insisto: são bonitas as tuas fotos, cada qual com a sua história...

Ah! Mas os teus poemas!...
Que belo este que ora nos trazes.
Obrigado
zl

ângela marques disse...

Obrigada pelas tuas palavras.:)

beijo

Meg disse...

Uma tarde de domingo, uma cadeira a convidar a uns bons minutos de sol para ajudar uma convalescença qualquer, um pátio e aquela renda na porta. E o silêncio que se ouve.
E a paz que se respira a TI.

Que mais quero eu da vida desta tarde?
Mil beijos amarelos de girassóis e
frésias.

Teresa Durães disse...

ando sentada em cima de uma que não me dá acesso a nada. talvez mesmo às águas de Março

herético disse...

amarelo e amizade - oiro sobre azul!

post belíssimo!

legivel disse...

... sem que nada o fizesse prever, começou a chover tão intensamente que Maria Frésia se curvou instintivamente.

- ò Chuva! bem podias ter avisado que ias começar a cair!
- Era o que faltava! Prevenir a senhora dona da minha queda... p´rá molha! E está cheia de sorte de não vir acompanhada dumas pedrinhas, que gosto tanto de as ouvir cantar no chão.
- Mas... afinal és minha amiga ou amiga dos fabricantes de guarda-chuvas e gabardinas?!
- Sou de ti e deles. Mas amiga, amiga, sou duma boa chuvada, daquelas que levantam nuvens no asfalto e que até os cães bebm água de pé! Isso é que é um regalo! Vá. Vai-te secar, que se me acabou a vontade de chover. Volto a aparecer quando menos esperares, que é como quem diz, lá mais para o Verão...

Enfim... disse...

espectacular...lindas fotos Beijinhos

Licínia Quitério disse...

Dias de flores. E também de chuva e de sol. A nossa prima-vera atrapalhando os nossos sentidos.

Beijinhos.

eremita disse...

houve-se a fala da alma, misturada ou confundida com o odor das frésias.
Fraterno abraço

Maria Streibhardt disse...

Que bonito, lindo o abrigo. Por aqui ainda há dias nevava !!
Beijinho

Mar Arável disse...

E eu na cadeira do lado

à tua espera

Teresa David disse...

E hoje estiveram cá 28º logo a chuva que por aí caíu até tinha sabido bem!
Mais um punhado de belas fotos e palavras como sempre.
Bjs amigos
TD

Maria disse...

Ai ai, e eu gosto dessa casa-abrigo....
... parece-me familiar... :))))

Beijo

Ana disse...

:) flores. Uma cadeira ec flores. Para mim fica perfeito, assim.