quarta-feira, agosto 27, 2008

Sempre o TUA











No deambular dos tempos fascistas.
Na pretensão dos democratas de alcatrão e betão.

Sempre belo. Onde "estrangeiros" o comprariam, o levariam, se pudessem!

Aqui, a culpa é toda virgem e entregue a comissões de inquérito - gente que ganhará bem e encontra sempre trabalho, pela quantidade de empregos criados. A bem dizer, guio-me pelo anúncio de "firmas de inquéritos" que pululam por tudo o que é acidente.

Deslize, papel perdido, mulher não assistida, condenado fugido da condicionada (levemente) liberdade, carro em sentido proíbido, conduta de água rebentada, camião desgovernado, as comissões de inquérito abrangentes tratam de tudo.

***
Lembrei daquele rio bravo entre pedras: com a distância de quase 40 anos.
E espantei os olhos ao ver hoje o idêntico, ali, chapado no écran.
Sem que nenhuma culpa encontrada, a não ser de haver pessoas sofridas. E um rio belo e solitário, lá pelos montes de trás.

29 comentários:

Alfazema Azul disse...

Um rio lindo, de encantar, encaixado entre margens cavadas em socalcos...uma paisagem que corta a respiração...um quadro pintado por mãos geniais e...o perigo que há muito devia ter sido resolvido.
Segurança é o que se pede. Que a linha reabra com ela assegurada.Imperdível a viagem.

Beijinhos

M. disse...

Quem dera fosse fácil encontrar sempre a explicação e atribuir culpas! É tão complexo tudo isto!

Menina_marota disse...

E mais uma vez a culpa vai morrer solteira... naquilo que poderia ser uma tragédia Maior... (ou será que foi calculada?) ninguém é responsável de nada... mas começa a ser hábito, neste Pais de maioria política, mas de uma minoria cada vez maior de Valores...

Um abraço e continuação de boa semana ;)

Lola disse...

Bettips,

Valha-nos a beleza incorruptível do Tua e das suas margens.

E fique o protesto.

Que a segurança seja a regra.

Beijos grandes

rach. disse...

É tua, minha, nossa, a paisagem incorruptível que nos ofereces.

Eu fico sempre em "stupore" com a beleza, mas também com a culpa que há tantos anos morre solteira.
Isto é mesmo uma história da carrochinha


1 beijo para ti

vida de vidro disse...

A beleza incontestável daquela natureza bravia.E as dúvidas que estes acidentes colocam no nosso espítito. Que as comissões de inquérito não resolverão, de certeza. **

mena m. disse...

Misteriosos estes acidentes,
assim diz o maquinista que já tinha sofrido um anterior...

A beleza, essa é inquestionável!!!

hfm disse...

Gostei da tua abordagem ao problema e muito das fotografias. Esse rio, como tantos outros locais neste Portugal esquecido deveriam ser bem tratados.

Meg disse...

Quantos rios como esse, quantas margens abruptas, agora quanta terra queimada, preenchem a minha memória recente?
Quanto à segurança? Qual segurança? Acidente? Muito convenientes estes acidentes tão frequentes.
Que tal uma pequena sabotagem para acabar com o combóio do Tua?
Só estou a pensar alto.
Beijos, muitos, para ti.

dona tela disse...

Tive o meu primeiro SELO!

Beijinhos.

nnannarella disse...

Saborosa reflexão en fleuve, bela Bettips, pequenas cascatas entristecidas por um pragmatismo cada vez mais demolidor.
A quem prejudica o comboiozinho e a linha do Tua ?
Ainda me lembro, há muitos anos, de atravessar uma pontinha aérea (quase) feita de tábuas... Panorama e sensação inesquecíveis, com o romântico-inquietante abrandamento da máquina. Já deve ter morrido há muito, e sem funeral. Agora, pontes, só nas capitais.

Vanda disse...

Nunca o cheguei a conhecer...


Há dois anos e meio, marcação de hotel, de repente a neve, o fecho de estradas, o abismo...

Parece que é um rio que nunca chegará a ser meu...

O insólio prevalece, os relatorios adormecem, a culpa morre solteira...

Filoxera disse...

E o que é belo não devia ter sido cenário de mais uma tragédia...
Beijinhos.

Jofre de Lima Monteiro Alves disse...

Um porção do paraíso na terra, uma delícia!! Pena os tristes acontecimentos a estargar aquela maravilha. E a culpa morre solteira e virgem empedernida! Boa semana com tudo de bom.

Justine disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
as-nunes disse...

É caso para nos interrogarmos. Será possível que haja interesses que se possam sobrepor a tanta beleza natural? Afinal como é que se pode encarar a vida sem se ser capaz de apreciar as coisas belas que a Natureza tem para nós fruirmos delas.
O que se passará? Será possível engendrarem-se esquemas esquisitos para se levar decisões avante contra a vontade da maioria das pessoas?
A pretexto das necessidades de energia não nos importamos que a quallidade da nossa vida se torne incomportável?
Mesmo à custa de "acidentes" que ninguém quer explicar?

bettips disse...

Justine disse...
Muito bem observado, Bettips! Nestas coisas, o que menos interessa são as pessoas sofridas. Mas grassam as tais comissões de inquérito, as autoridades, os relatórios...para tudo acabar em nada!
No entanto,a beleza permanece, imutável contudo diferente.

3:16 PM

tina disse...

Maravilhosas paisagens que o homem, pouco a pouco, ou não, tem dado cabo. Espero que por aí demore e muito. A pobre da natureza sempre estilhaçada. O homem é um bicho daninho.

Teresa David disse...

Nunca me passeei na zona do Tua, mas as imagens que aqui nos mostras provam que será um sítio muito belo e descuidado também como provou o acidente que ceifou a vida a alguém e deixou outros feridos.
Bjs e bom Domingo
TD

Chat Gris disse...

Lindas fotografias!
:)

heretico disse...

"democratas de alcatrão e betão"!...

quem diria melhor?

dói-me a morte dos caminhos da minha adolescência. de uma dor encardida. e rebelde...

grato.

beijo

Fernanda disse...

O que será que querem fazer aquela linha???!!!...

Será,...que aquilo é o Triângulo das Bermudas???!!!...
Comboios que caiem...e não se sabe porquê???!!!...

A quem é que querem vender,...mais uma nova história da Carochinha,... passada na bela PAISAGEM DO TUA???!!!...

Ai...ai,...que a Barragem vem aí...pois então!!!

Anónimo disse...

Aqui [no nosso quintal], a culpa é toda virgem e entregue a comissões de inquérito"... Daí que... virgem morra.

A espectacularidade da natureza é frequentemente ensombrada pela tristeza do acidente...

Quem paga a factura? Sempre os mesmos; e por vezes até com a própria vida.

abraço
jl

Era uma vez um Girassol disse...

Uma linha muito pouco segura...
Deve ser uma viagem belissima! Merece continuar, para encantar quem a utilize, mas em condições de perfeita segurança...!
Beijinho da flor

Multiolhares disse...

É estranho onde tanta beleza, pode ocultar também a dor

beijos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Estas imagens fabulosas fizeram-me regressar à infância, ao velho comboio a vapor do Tua. Na altura, nunca lhe dei o valor devido, só anos mais tarde... Hoje, sofo só de pensar que aquela linha vai ter um fim

Filomena Barata disse...

vi-lhe já um dia as escarpas (desse rio) em viagem de comboio. As pedras eram amarelas dos líquenes ... a memória ainda retém a imagem

Micas disse...

É um lugar de magica beleza.
Qt aos tristes acontecimentos e sem querer julgar ninguém, não acredito em coincidências, tantos acidentes em tão curto espaço de tempo...

Mar Arável disse...

É urgente correr como um rio

para salvar memórias

e construir amanhãs