domingo, fevereiro 14, 2010

(tão)Amigos que somos




E antes que anoiteça
a noite
o dia
e se passe ao carnaval de todos os dias.
"bom dia, boa tarde, então?tudo bem?"

Quando apetece responder com um grunhido ou um grasnar.
Caretas. Bichos.

Então, gestos que qualquer ternura consente.
E se procura o sentido do tronco comum de alguns de nós.
Uns chamados "gestos de Lisboa" em que nos gestuamos às vezes em uníssono.

21 comentários:

arabica disse...

Como uma leve passagem -festa- dos dedos por uma face. De passagem-aceno-dos que partem e ainda assim, ficam.
Dentro do mundo, duas ruas abaixo, triste máscara sem carnaval atempado: é o espectaculo dos homens que brincam com e aos naufrágios. Duas ruas mais abaixo, dentro do mundo, um país que chora.

Um beijinho

Filoxera disse...

"Então, tudo bem?" soa a desinteresse, não é?
Um beijo.

Rui disse...

Ai, amiga, não tenho andado por aqui e, agora que venho cá, penso: mas como isto está diferente, o que cresceu, há tanto tempo que não o via. É assim com as crianças e os blogues dos amigos. Se a gente se distrai um bocadinho, dá por eles e já estão na tropa.
Estou podre de sono, quis vir aqui, e voltarei, mas da próxima vez que vier deixo-te aqui o meu comentário.
Beijinhos.

jrd disse...

Pedra(s)das na rotina urbana.

Rosa dos Ventos disse...

Exactamente:
Grunhir, rosnar, etc. ! :-((

Abraço

Rui Fernandes disse...

Lamento não entender a tua mensagem mas a verdade é uma coisa que deve ser sempre dita. Entendo as 3 imagens como uma sucessão tipo BD. Quente ou frio?
Na primeira há uns bicharocos careteiros que cumprimentam a assistência e que são correspondidos com grunhidos ou grasnares.
Depois um par bem entornado (em torno de qualquer coisa) em que ele escreve o seu nome no chão porque a menina é surda.
O sentido do tronco comum é da esquerda para a direita quando o vemos de baixo para cima. Será que se vai abater sobre o ternurento par? depois vem os gestos de Lisboa entre galhetas, que parece que é código e eu não entendo.
Tenho que tomar qualquer coisa para desentupir do colesterol as artérias do cérebro. Os sinais são péssimos e começo a desentender as coisas. E mal.
Mas gostei de estar aqui.
Um beijinho.

Teresa Durães disse...

ah! gostei da estátua!! e os amigos são todo o ano

Licínia Quitério disse...

Não estive em Lisboa. Não fiz caretas. Não grunhi. Apesar disso, espero pertencer ao tronco comum.

Beijinhos.

augusto, um entre mil disse...

NUma rua perto daquela onde mora nasceu há muitos anos um pinheiro, no passeio, a uns três metros de um prédio.
O pinheiro foi crescendo e, como recebia luz só de um lado porque o prédio o tapava do outro, foi crescendo sempre virado e inclinado par o lado da luz. Era inclinado como a árvore da fotografia deste post.
Havia uns anos que o pinheiro atingira já a altura dos telhados e os prédios são ali todos de quatro andares.
Era um pinheiro lindo.

Hoje passei lá e o pinheiro tinha sido cortado. Os moradores queixavam-se de que ele lhes impedia a luz de entrar em casa. Compreendo.

Mas senti uma grande tristeza.

~pi disse...

troncos comuns

a grunh ir

rosn ar

essa árvore que diz porque esperar

pedras vindas de longe

e de novo a árvore

[ a mim fixada

pé ante pé chegando do chile

chegando crescendo amando estranha a si

contando os nós de

nos

a bra Ç ar




beijo, querida betty






~

Justine disse...

O gesto contra a indiferença. É isto que tentamos fazer todos os dias, encontrando laços, fios, calor.Contra as máscaras e os grunhidos!
E conseguimos, verdade??

heretico disse...

"gestos (..) em que nos gestuamos às vezes em uníssono"...

gregários que somos...

beijo

Maria disse...

Dou-me conta de há quanto tempo não passava aqui. Não é não passava, é não comentava.
Esta 'coisa' da net portátil que não gosta de nós...
Gosto deste tronco. E dos gestos de ternura que adivinho...

Bjinho

tulipa disse...

Quanto mais visito este espaço e admiro aquilo que publicas - as tuas belas fotos, mais gosto de cá vir.

Num dos meus blogues, coloquei uma foto juntamente com um poema que escolho que tenha a ver com algo que a foto tenha, percebes?
Então esta foto é à entrada do "Hotel dos Templários" na bela cidade de Tomar.
Neste caso, pela perspectiva é à saída...vinha eu de máquina ao pescoço como sempre e vejo aquele ângulo, pareceu-me interessante e clic...já está!!!
Decidi que vou fazer esta "rubrica" uma vez por semana e naquele blog "DeAbrilemdiante", bem como outra rubrica que vou dar início já a seguir com o tema "Recantos de Hóteis".
É o meu objectivo para 2010, para também poder utilizar as centenas de fotos que tenho.

Hoje é dia de festa, de alegria e também de concretização de um sonho, o meu blog "Momentos Perfeitos" chegou ao nº 100 de "Seguidores", fico mesmo feliz, acredita.
Fiz um post alusivo a esse nº 100.
Sempre escrevi e também fotografo para divulgar ideias que vou tendo e como não posso chegar às pessoas como jornalista nem repórter, utilizo os meus 2 blogues para esse fim.

Bom Domingo.
Excelente semana.
E um beijo da Tulipa

greentea disse...

de Lisbboa ...ou de outros lados .
Ás vezes é mesmo o q apetece

mdsol disse...

Beijinho, Bettips

:)))

Teresa Durães disse...

olá, só ontem divulguei o lançamento do Navia e não foi aqui, foi no FaceBook. Nem tanto porque queria, dado faltar algum tempo, mas mais porque insistiram comigo.

Já te tinha dito que iria acontecer mas não tinha datas naquela altura. Só há dois dias o soube.

Não sei se chegarei a ir ao Porto, quem sabe? Beijos

M. disse...

Gosto da estátua do meio e da árvore à banda.

legivel disse...

... eu gostei mais da primeira imagem! Tem bichos que se farta e eu entendo-me muito bem no meio dos bichos que ele às vezes há bichos que parecem gente e gente que parece bicho.
´tá bem, falta lá o leão, eu notei, mas ninguém é perfeito e dou-te o benefício da dúvida até porque a ave-máscara me parece mais um pombo que uma águia e tiveste o bom gosto de não fotografares o dragão que eu sei perfeitamente que está mais a norte da imagem.

Percebeste Rui? ó comentador dos comentadores da blogo-esfera, que até parece impossível não entenderes a mensagem da nossa comum amiga. Calculo que o que te tramou foi o tronco, homem. Mas usasses tu a cabeça (como eu) e ias a ver se não resolvias o inigma em três tempos: cabeça, tronco e membros.

Um abraço fraterno e gestual dum rapaz de Lisboa.

legivel disse...

... enigma para ser verdadeiramente enigmático só pode ser inigma.

Filomena Barata disse...

parar, dizer olá amiga; gosto sempre de te rever.