quarta-feira, setembro 08, 2010

Do mês que (também) gosto



Fecham-se e abrem-se portas
muito devagar.

Setembro é um fruto
um mês em dourado
quase escondido na mão da memória.

O meu espírito, esse voltará sempre aos lugares felizes
em Setembro
ou Maio.
Quando o sol subir nas rosas ou se inclinar na vinha.

Quem me conheceu sabe dos sinais.

7 comentários:

Maria disse...

Tempo de vindimar o tempo
o amor
a amizade
a vida
a morte
e tudo.

Beijo.

heretico disse...

gosto perfume (a fruta madura) em fim Verão...

... e da memoria do feno. e morangos silvestres!

gostei muito deste teu "desvendar dos sinais". de ti!

beijos

jrd disse...

Amadurece o Maio nos sinais de Setembro.
Abraço

Justine disse...

Vejo essa mão elegante a abrir as portas dos afectos, da beleza e da luz. Tu estás lá dentro...

Lizzie disse...

Não sei se é por (de)formação minha, mas Setembro também se sente na pele e nos olhos.
É um mês intimo, sensual e físico.
Na memória tenho as brisas já frescas, o aconchego de um casaco que já apetece.
A luz torna-se mais terna. As cores ficam com a suavidade dos pastéis de um pintor delicado.
A dança das folhas ao vento e o seu som.

Tinha, e tenho, o fascínio pelo cheiro dos lápis, dos cadernos por estrear. O sabor de uma aventura. Mais um passo para galgar a infãncia que na altura se desprezava. Queria-se chegar depressa à adolescência heróica de Maio. Pois era.

Abraço, ou abrazo, que ainda ando com as línguas baralhadas:)

Anónimo disse...

Setembro é 1 fruto.
Vamos colher Setembro
Beijo
I

M. disse...

Como as mãos podem ser lindas! Tal como o teu sentir que aqui escreves.