quarta-feira, janeiro 25, 2012

... a limpidez das palavras




Se não serve para chorar, para saber, para aprender, para rir, para partilhar...
de que me serve este painel em branco,
ligado ao mundo tantas vezes irreal?

Hoje a notícia de um elo que se quebra, de um poeta e de um homem tão belo e alegre.
Conhecia-lhe o sorriso, a limpidez do pensamento e "das palavras".
Fica-me, a mim, tão pouco e tanto: o 1º livro. A folha do poema "Nem" onde parei.
Disse-lhe há tempos que precisava de o ler sem paredes, dizer alto os poemas, na praia ou no campo; mas sempre ao AR e livre.

Morreu-nos o teu verbo viver.

Que pena infinita, Mário, que não tivesses ficado MAIS tempo
com a tua família e connosco.

11 comentários:

Justine disse...

Tanta tristeza, amiga! O choque da chegada precoce da morte, que nos rouba homens bons,amigos,poetas.
Hoje é dia de chorar.

Maria disse...

Não tenho palavras. Apenas muito frio...

Teresa Durães disse...

hoje triste, bastante triste. um companheiro de 6 anos

heretico disse...

os deuses levam cedo os seus eleitos...

beijo

hfm disse...

É o que diz o Herético! triste.

Lizzie disse...

Conheço tão pouca gente em Portugal.
Os anos, a distãncia,algumas mágoas que já conheces encolheram-me aqui os afectos.

E encontrei-os, ao Mário e à Lola.

Num jantar. Numa primeira conversa. E entraram-me dentro como se sempre cá estivessem estado.Pessoas a quem se escancaram as portas.




Senti que o Mário era uma pessoa tão grande, tão inteira, com um tal equilíbrio de valores, tão rara que o imaginei como um cadeirão confortável e seguro onde qualquer pessoa pode adormecer na paz de um sono protegido.

Ontem, quando soube, ia avenida fora no carro e ainda sorri e ralhei com ele:

oh Alien, só tu para pores uma inglesa a chorar na via pública, coño.

Agora a responsabilidade de o manter vivo é nossa.
É a melhor forma de o deixarmos sentar, devagarinho, na alma da nossa memória.

M. disse...

Nesse silêncio da morte virão a encontrar-se todos os que partem e nos deixam tristes numa saudade também ela silenciosa.

mfc disse...

Todos os dias morremos mais um pouquinho...
É tão impiedoso este Tempo!

Era uma vez um Girassol disse...

Quando os amigos partem, levam algo de nós...
Um beijinho

jrd disse...

Verifico que o meu comentário não entrou. Era um comentário triste...

wind disse...

Que se passou?