quinta-feira, abril 12, 2012

Assim somos




... e pousamos...
nas águas das nossas palavras ditas e nas guerras dos nossos silêncios.
A vida é apenas um reflexo atrás de nós.
Belo se assim o quisermos fazer.
Ou soubermos ver.

(no PPP em 12.4.12)
O que me lembrou recuados anos 90, "O Pêndulo de Foucault" de Umberto Eco, pág. 553, onde li

"...que no momento final, quando a vida, superfície sobre superfície, se incrustou de experiência, saberás tudo, o segredo, o poder e a glória, porque nasceste, porque estás a morrer, e como tudo poderia ter sido de outra maneira.
És um sábio. Mas a sabedoria maior, nesse momento, é saber que só o soubeste demasiado tarde. Compreende-se tudo quando não há mais nada a compreender."

10 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Assim somos...limitados até ao limite!
Aí tudo se clarificará para coisa nenhuma!
Belas fotos no Palácio de Mateus...

Abraço

hfm disse...

Gostei de te ler. Muito.

M. disse...

Sem dúvida assim é.
E sabes que em duas destas fotografias, belíssimas, a estátua, também ela belíssima, me lembra um cisne?

Anónimo disse...

Tal qual M., pousado e manso na serenidade da tarde.
bettips

mfc disse...

Quero continuar a saber pouco, para poder continuar a compreender.

Mateus continua a ser uma inspiração.
Beijos,

jrd disse...

Muito bonito. Quer continuar a vir aqui, porque ainda há muito para compreender.
Abraço

Justine disse...

Assustdor, o pensamento de Ecco! Mas inclino-me a dar-lhe razão...

R. disse...

Talvez não seja "demasiado tarde". Talvez a sabedoria requeira o tempo de uma vida, e a sabedoria derradeira resida na possibilidade de o aceitar.

Votos de uma óptima semana.

heretico disse...

serena aceitação da Vida...

na sabedoria de quem sabe que falta sempre azul no horizonte.

beijo

Mar Arável disse...

Em Abril tudo floresce

até o sonho