domingo, julho 15, 2012

A(massa)









Alguém amassa a massa, com ternura e com azeite.

Ou com palavras, bem tendidas, bem misturadas com o sal, o real.

Assim somos, os fazedores de sonhos.
Lembrança de férias e de gente que tenho o gôsto de conhecer. De trabalhos que produzem belezas, de paladar, bom gosto, de formas, de imaginação. Bem hajam os que trabalham, sem emes bês áás mas com a sinceridade do espírito prático.
Precisamos muito das pequenas coisas diárias, assim feitas riso de mãos carinhosas, velhas e hábeis.
Que lhes seja dada a parte do governo deste lar, em vez dos façanhudos meninos de côro que andamos a ver em manobras sujas.

9 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Que delícia de texto no seu sentido total!

Abraço

jrd disse...

Lindo!
Quando a doçura de um gesto nos faz sonhar, com açucar e com afecto.
Abraço

heretico disse...

coisas boas e mãos sábias. como refrigério...

como te compreendo.

beijo

mfc disse...

Palavras lindas que legendam umas fotos em que a verdade, a beleza e o trabalho têm a primazia.

Lizzie disse...

Neste caso,a farinha será sempre uma espectadora passiva das mãos, conhecendo-lhes e absorvendo-lhes as alegrias e os desgostos, os nascimentos e as mortes.

O azeite deve ter mais ou menos a mesma idade que o tempo. Se calhar não chegavam todas as bibliotecas do mundo para descrever o que as oliveiras foram vendo desde o princípio das coisas.

As pessoas complicam tudo para esconder a ignorância. Sobretudo e paradoxalmente nas terras onde existe mais farinha e mais azeite.

O trigo e as oliveiras curvam-se perante o vento, as pessoas perante os ministros (seja qual fôr o clube a que pertençam): vão eles no andor de plástico e segue a procissão. Nunca vi nenhum cicerone que, como um bobo descarado, mostrasse em voz alta as crateras das coisas. Mostram a ilusão de um chão liso.

É o que tenho visto aqui.Tanto cabeleireiro e fatinho de Domingo para a visita. Mais que em Espanha onde a massa é mais bruta e tostada pelo fogo.

Enfim, beijinhos.

Mar Arável disse...

Boa malha

com mãos sábias

M disse...

Por acaso comia um destes apetitosos petiscos. A esta hora da manhã, quando a espertina ataca... Assim se amassam viagens...

Justine disse...

É com mãos dessas - e com a sensibilidade que mostras por elas - que se amassa a vida verdadeira. A outra,a dos meninos de côro, não é vida nem é nada: é hipocrisia e falsidade.
Vivam as pessoas verdadeiras!

Teresa Durães disse...

penso que o trabalho com as mãos provocam pessoas saudáveis. Mas posso estar enganada. O meu.... bem... o meu trabalho serve para robotizar. beijos