quinta-feira, novembro 15, 2012

Passados





... anos há uma bóia de outra cor

que tento agarrar.
Vem do fim do tempo e na bordadura de outros anos.
Pode ser um medronho, um sorriso, uma pedra, um verde diferente, um clamor de sol, um rasto de luar.
Onde melhor me movo agora, na sombra e nos verdes.
Onde encontro os falares passados.

6 comentários:

lino disse...

Excelentes, poema e imagem!
Beijinho

Justine disse...

Espero que agarres e mantenhas a tua bóia! É que às vezes a gente sente-se afundar...
Saudades

heretico disse...

bóias que são laços...

M. disse...

Gosto da ideia do medronho. Terá sabor a mar. :-))

Benó disse...

Seja qual for a cor da boia ela é sempre necessária no mar.
Bonitas fotos Bettips. Bom fim de semana.

R. disse...

uma espécie de máquina do tempo.