sábado, dezembro 15, 2012

Pendurar



... a lua numa janela
abaná-la com o vento de Inverno.

E uivar a ela neste deserto de lobos.

O que falta, o que sobra,
o que se diz, o que se desdiz.

(Eu que nunca pedi a lua nem para ser
- feliz)

6 comentários:

heretico disse...

o sortilégio da Lua... que cresce.

por dentro...

Justine disse...

Sobra-nos o sonho e a lua, minha amiga! E tudo o que já vivemos e que não calaremos!

M. disse...

Como a lua pode ser bonita nestes tempos de desânimo.

M. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mar Arável disse...

Na verdade

a lua
no ciclo das marés

jrd disse...

Ouviste, lua? Apaga-te!
- lâmpada dos cães e dos poetas magros.
(José Gomes Ferreira in: Panfleto contra a paisagem)

Abraço