terça-feira, novembro 26, 2013

Palavras de mi(ni)stério

Palavras de  ministra, instalada, luzidia - NÃO, eu não, não a instalei.
Apenas coloquial, como eles sabem ser, parecem normais, ameaçadoramente "achegando-se" às massas.


Todos os dias, sem vergonha. Nem cristãos nem democratas e muito menos sociais: aquilo é um emprego, bem pago e mal feito.

Dizia o objecto-pessoa falante: "Ocáquivitar" 
... e perorava sobre os males que nos ameaçam, se a gente não se portar bem.
Fartei-me de pensar no que HÁ QUE EVITAR e que eles/elas, a tal maioria, não evitam.
A força das tempestades, a água brava que rasga os ares e margens.
A fome, o desemprego, a penúria, a injustiça.
O enriquecimento ilícito.
A aflição da doença.
As notícias compradas a metro.
A falta de cultura.
A humilhação de viver, mal.

O desespero de sentir décadas perdidas, a pagar-lhes as casas, os cargos, os carros, as famílias.
Os cursos: sim, que eu fartei-me de trabalhar para "um curso" cá de casa, e o deles.
Hoje tenho o resto que fica do que me roubam. Os senhoritos, os senhorios, a esfregar as mãos: não com o frio mas com as casas que lhes sobram e as rendas que cobram.

O QUE HÁ QUE EVITAR é que sejam eleitos e, fingidamente, se assumam mandatários de todos.


6 comentários:

lino disse...

A escória no poder!
Beijinho

heretico disse...

... e correr com eles. quanto mais cedo melhor.

heretico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Justine disse...

É isso mesmo, Betty! Armam-se em papões a assustar cianças! Mas nós deixámos há muito de ser crianças - apesar de haver para aí muita gente que infelizmente se comporta como crianças adormecidas!

Lizzie disse...

Venha de onde vier, irrita-me aqui e aí, esta mania da redenção: o sofrimento lava o pecado sendo que a civilização e a cultura são pecadoras ou levam à perdição tresmalhada.

(Alguém disse que o cinema não deve ser financiado para não se repetirem os Almodovares, os disparates,por exemplo)

Ainda não perceberam que ninguém votou em deuses. Nem eles são o corpo diplomático de divindade superior nenhuma.

Talvez por isso 99,9% dos que conheço e que acreditam em deuses não acreditem neles.Quanto mais os outros...

Assustam-me os intermédios sub serventes que os seguem e lhes fazem chão.

Deve ser triste servir deuses de plástico, ainda por cima de sorriso convicto na cara. Mas nem a tristeza (ou a alegria) esta gente conhece.

Bjs




Teresa Durães disse...

Chegou o tempo de dizer NÃO! Beijos