domingo, setembro 10, 2006

Passei por aqui


e vim lembrar um aceno, neste mesmo canto, há meses. Em roxo.
Neste canto de casa, como em muitas esquinas aqui, dentro de arcas e estantes
há "as palavras" ... "que nunca direi"- nem de amor nem de ódio, é um limbo, uma vagem por abrir. Quem ficará. Ou ficará?
os mapas de viagens que não irei fazer (mas algumas passadas e certamente por passadas, felizes, ainda conchas, areias, pedras de sempre, postais, ervas secas, troncos de vinhas cortadas e vindimas feitas aos meus sentidos/sentimentos)
nem digo o que queria dizer que é simplesmente "Olá"!
Neste canto, também frases e cumprimentos e parabéns e notícias, só que eu nem estive cá.
Passei por aqui e deu-me o sol que me brilha às vezes
Então, remetentes: o Porto, Aveiro, Agueda, Lisboa, atravesso o rio e páro numa terra que eu acho cor de tijolo, mais umas nesgas de Tejo, e por aí abaixo, até às últimas serras do Sul e mares
Ainda Açores.
Uma infinita conta de somar, palavras e encontros.

25 comentários:

Teresa Durães disse...

"Em todas as esquinas da cidade
nas paredes dos bares à porta dos edifícios públicos nas janelas dos autocarros(...)"

:)

Por aqui! Vim ver os teu girassóis!

vieste a Lisboa?

(seguem o sol)

hoje vim aqui mais tarde, estive a ver o filme "Orgulho e Preconceito" pela milésima vez. Li o livro mais vezes que vi o livro, e a série da BBC. Coisas.

Flores. Sabes porque não as aprecio? Lembro-me de funerais. Onde apressadamente todos vão comprá-las. cada um com as suas memórias idiotas. Assim foi a minha vivência de filha de pais que discutiram até se divorciarem. As flores acompanharam urnas. As fotografias, mortos. por isso não tenho nem umas, nem outras :)

Boa noite para ti e para os teus sóis!

bettips disse...

Não, minha querida.
E as flores para mim são vida. Estes sóis acenaram-me entre prateleiras de supermercado e ainda por cima, estavam vivos, riam alto às 10 da noite. E eu que há anos não compro flores para mim, irresistível. Hei-de explicar-te que nunca cortei uma flor até à adolescência, para elas não "chorarem", eu estava mesmo convencida que sofriam. E acho que ainda hoje tenho as minhas dúvidas ...por isso lhes falo: "Olha, queres vir para minha casa?". Estas alegraram o meu fim de semana e a visita do meu Sol/Filho. Bj

Teresa Durães disse...

e sofrem, nisso acredito. Como as árvores escutam e falam connosco. Desde pequena que falo com elas e com o vento e pedras. Não é poesia nem palavras ao acaso para ficarem bonitas.

É o que faço.

Não arranco flores nem deixo os meus filhos o fazerem. Doi a mim e a elas. Nem folhas de árvore.

Trepava-as e abraçava-as e ficava com elas.

A lua... costumava vê-la todas as noites, sabias? saudava-a. Já não o faço. Histórias de medos recentes. Mas sei que zela sempre.

Em pequena tinha medo do céu muito estrelado porque mergulhava nele e perdia-me. Hoje tenho também porque sei que me perco mas de um modo diferente. A mente.

Boa noite para ti. A lua está sempre, eu sei, mas não a olho como dantes.

Era uma vez um Girassol disse...

Que lindos girassóis, Bettips!
Alegram mesmo, não é?
São mágicos!
E trouxeram-te o Sol...Claro!
Também não gosto de cortar flores, prefiro-as no jardim.
Mas essas tinham a sua missão...
E não há coincidências.
Beijinhos

pitanga disse...

Remetentes...e Açores e uma pitangueira plantada do outro lado do Atlântico também passou por aqui enquanto a casa estava vazia, mas agora com esses girassois há de vir mais vezes.

Moura disse...

Também gosto do girassol!
Curiosamente fiz esta semana um post sobre um girassol que me meteu "inveja"...
Abraço

Teresa Durães disse...

(passou a neura.. ufa!)

Ana disse...

Olá!!!!!
Que lindos girassois! Que lindos mesmo!... Quanto ao texto.. já nem sei o que dizer... Magnifico, talvez seja uma boa! :)

Beijinhos beijinhos beijinhos

Bela disse...

Tanto sol, tanta vida nesses girassóis! Só podiam trazer-lhe alegria....
Beijinhos meus para si.

greentea disse...

bettips

outro dia entrei numa estufa porque precisave de vasos .
Vi lá duas trepadeiras quase murchas que "pediram" para as levar.

trouxe os dois vasos, falei com elas, mudei-as

estão lá fora lindas cheias de rebentos e com flores novas.
as plantas sofrem sim qd as cortamos, qd não lhes ligamos qd não as acarinhamos...
gosto imenso de plantas e não consigo não as ter e não cuidar delas.
um abraço

Tozé Franco disse...

Gosto das fotografias e dos textos que as acompanham.
Parabéns.

Moura disse...

Cara "amiguita",
desculpa a ousadia...mas acabo por "dedicar-te" um post!!
Bjo

T. disse...

Olá!
São bonitos os teus girassóis!
Os nossos «cantos» ficam mais bonitos com flores e quando lhes dá o sol mesmo que a gente não esteja lá...
E as viagens por fazer? Não faz mal, elas esperam por nós, como os mapas de lugares onde nunca iremos...
É bom sorrir com um sonho, mesmo que ele não se cumpra...
Boa noite e bons sonhos!

redactores disse...

Os jornalistas em destaque em:

http://naolinemqueroler.blogspot.com/

Teresa Durães disse...

boa noite para ti :)

MAM disse...

amiga,
estou de volta, com uma lentidão que não me coneço. Ando às apalpadelas, à procura do sabor quase antigo de alguns toques de magia, de imagens que ficam comigo para sempre e me acompanham, em qualquer peregrinação a que momentaneamente me obrigue.
até breve. Bom trabalho
armandina

vida de vidro disse...

Nesse canto da casa, juntam-se lembranças e sonhos. Um mundo de vivências. E os mais belos girassois para o alegrarem e enfeitarem a vida. **

Teresa Durães disse...

(então, a Sunua morreu? ohhh)

Boa noite pata ti!

PALAVRAPUXAPALAVRA disse...

E eu passo para agradecer as palavras lindas que me foram deixadas no Palavra Puxa Palavra. E então não é que encontro outro amarelo! Girassóis! Belos os de Van Gogh, belos estes! As flores são uma companhia para nós, quase que falam no seu silêncio.
Até sempre.

pitanga disse...

Bettips, vejo tudo muito parado mas se estiveres à janela vai ao pitanga que há flores para ti e mais alguém.

beijos e flores

greentea disse...

ola


deixei uma resposta ao teu comment

alonguei-me demasiado mas ha coisas que tem de ser ditas


um beijo para ti

Unicus disse...

Céus, ainda existe gente que escreve divinamente. Está um texto soberbo e cheio de sensibilidade.
Beijo

bettips disse...

unicus: porque é a única maneira de te dizer que tu descreves sentimentos, dum modo quase "chegado" a nós. E é bom ler-te. São excertos do teu livro? Obg e bjinho

Jardineira aprendiz disse...

E é bom passar por aqui, para quem vem de visita. Aqui está-se bem! Sem palavras de amor nem ódio, porque as primeiras são raras quando são verdadeiras e as segundas não fazem falta nenhuma!
Só o sentimento que há coisas boas e belas por aí espalhadas, à espera que alguém nos chame a atenção para elas.
Beijinhos

DIAFRAGMA disse...

Desculpa aparecer aqui fora do contexto.
É só para agradecer as tuas simpáticas visitas, e contar-te que aquelas "Ondas" vieram da Expo, uma foto com cerca de 2 anitos já.