quarta-feira, março 10, 2010

Vermelho avulso



dos apontamentos entre casas

num mar de qualquer ocidente



na candura dos campos

e das faces dos anjos escutando os séculos



vermelhos perdidos quase

na praça "da rotunda do leão" ao fim de um dia e tantos anos


em improváveis plantas


gadanhas vermelhas do pensamento censurado



portas fechadas em silêncio

ou pontes vislumbradas



da inocência dos campos



ou os vermelhos eventuais.
Alegram ou entristecem, tal a diversidade-perversidade-verdade da cor.

6 comentários:

Maria disse...

Vou pela verdade da cor.
Vermelho: vivo, vida, paixão, sangue, mar (sim, mar!), coração, parto, filho, flor, cravo, Abril... e nós!

Bjinho.

jrd disse...

Vermelho sempre! Mesmo quando não parece...

Filoxera disse...

Belíssimas! Que colecção poderosa.
É verdade, comseguem alegrar, comover...
Beijos.

Anónimo disse...

http://www.peticao.com.pt/arvores-de-sintra

Brikebrok disse...

que bonito este blog !
vermelho é paixão !

Mónica disse...

q giro! bora procurar o amarelo?? :DDD