sábado, janeiro 08, 2011

Parabéns para 11 em 01.2011




Pensando em caminhos percorridos
no Pequeno Príncipe
já quase rei

"...
- Os reis não possuem. Eles reinam sobre. É muito diferente.
- E de que te serve possuir as estrelas?
- Serve-me para ser rico.
- E para que te serve ser rico?
- Para comprar outras estrelas, se alguém achar.
...
- Mas tu não podes colher as estrelas.
- Não. Mas eu posso colocá-las no banco.
- Que quer dizer isto?
- Isto quer dizer que eu escrevo num papelzinho o número das minhas estrelas. Depois tranco o papel à chave numa gaveta.
..."
Do livro "O Pequeno Príncipe" de Antoine de Saint-Exupéry - edição 1964

E por isso para a cidade que me vê, a mim e as estrelas, nestes dias.

8 comentários:

O cozinheiro solitário disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

jrd disse...

"As pessoas têm estrelas que não são as mesmas. Para uns, que viajam, as estrelas são guias".

Para ti, que as viagens sejam sempre boas.

Abraço

heretico disse...

é bom abrir as gavetas - para as estrelas saltarem...

é bom ler-(te).

beijos

Mar Arável disse...

Solta as tuas estrêlas

para que se prendam a ti

Bj

Justine disse...

Voltamos sempre, ciclicamente, a esse principezinho sábio!
E encontramo-nos por lá...
Beijo, amiga!

Anónimo disse...

E desta, que me vê a mim e as estrelas, todos os dias, gosto particularmente.
abr
jl

Teresa Durães disse...

se os papéis de estrelas nos tornassem ricos, eu que os tenho tantos...

beijos linda!

tulipa disse...

Ao dia sucede-se a noite,
à luz o negrume,
ao amor ou amizade o ódio,
a distracção ou a indiferença,
à Quaresma das Cinzas o explodir da cor e da vida na Páscoa,
ao cinzento chuvoso, nublado e de neve do inverno o verde e a claridade suave da Primavera.
Ao verde multicolor da estação quente, por vezes com súbitos e relampejantes aguaceiros segue-se o cinzento sombrio da estação fria e do cacimbo.

A "mim" suceder-se-á a minha sombra!