quarta-feira, abril 27, 2011

De onde?

Uma pata que agarra e fere.
Das ameaças, do país destas gentes e das outras.

Sentar-me num lugar que nem sei bem onde

... a ver o branco que no mar se põe entre a luz e a sombra.

Surgem-me fotografias do nada.

Já o escrevi - se não o fiz, pensei dizer - :
nem sei se imagino ao olhá-las
se elas olham para mim e me fazem pensar nas coisas
que me estão a flutuar
inconscientes.

4 comentários:

hfm disse...

Como te percebo! Por isso deixo aqui apenas um pouco da bela luz do mar da Ericeira de hoje. Tão pouco e, contudo, tanto.

mfc disse...

A capacidade de fotografar...vai da capacidade de sorrirmos!

M. disse...

Os diálogos que cada um tem com o Mundo, cada um a seu modo, na irrequietude da Vida.
(Gosto em particular daquele mar.)

viajante disse...

A pata ameaçadora.Se é da Troika, de quem é a outra garra?