sábado, setembro 01, 2012

Animais da quinta








Os que grasnam, bem alto para serem ouvidos - que o ataque é a melhor espécie de defesa dos fracos de espírito.

Depois, há as cabras novas que se confundem na pelagem com as velhas.
A manjedoura e os esforços do velho bode para chegar um degrau mais acima.
Enquanto isso, trepam pelos muros os jovens bichos a quem o futuro parece já encarcerado.

Ninguém (devia) andar pela vida sozinho, cuidando unicamente dos seus interesses.
(ou "polítics on the loose").

(ele há fases, esta dura tempo demais).

6 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Uma metáfora de alto gabarito! :-))

Abraço

Jorge disse...

Gostei!

Justine disse...

Posso acrescentar um sub-título ao teu belo post?: "Das bestas e dos homens..."
(as coisas acalmaram por aqui, já se pode respirar no jardim - mas ninguém devolve a vida ao vizinho que morreu, nem os haveres a quem ficou sem nada - e tudo isto podia ser evitado!A raiva a crescer-nos por dentro, como fogo...)

mfc disse...

Palavras com todo o sentido e umas fotos liiindas!

Beijinhos,

jrd disse...

Das imagens e das palavras. O sublime poder da metáfora.

Abraço

Teófilo M. disse...

Não sei se hei-de gostar mais das fotos se das palavras...