terça-feira, setembro 11, 2012

No IR

No VOAR a pé

Ou PENSAR na água

Escolhendo VER luz,
surda da berraria de gente tão impúdica (o rei vai nu...),

...pois, ignorando a crise imposta... e criando comigo e outros, diferentes valores, os da partilha, os do conhecimento.

Que nunca vivi acima das minhas possibilidades, ó indecorosos!
Mais me parece que nem merecem a albarda, políticos da treta.

7 comentários:

Justine disse...

Criminosos, acrescentaria eu!
Que o teu ir seja proveitoso, e a volta mais fortalecida!

jrd disse...

No ir, voltar e tornar a ir, porque esta gentalha medonha que nos desgoverna, tem de sair!

Abraço

heretico disse...

somos muitos nesta indignação sadia. sacudir o bafio, antes que seja tarde...

Alberto Oliveira disse...


... que o teu ir se ajuste aos teus desígnios e o regresso se verifique com melhores ventos.

Estamos de saude. Deixei para trás as "fantasias". Dedico-me agora à "magia" que o "Grande Circo" não pode parar...

Beijinhos e abraços do Sul.

Rosa dos Ventos disse...

Que o regresso não tarde!

Abraço

Mar Arável disse...

O ciclo das marés

Lizzie disse...

Se calhar também nunca vivemos de costas para o mundo, assim sentadinhas nos gabinetes forrados de vaidades, de incompetências, de segredos, de mentiras, encharcadas em teorias de laboratório: vamos lá ver por quanto se vende um desempregado, se um empresário se suicida, se lhes começa a nascer um cabelo preto e espetado, olhos em bico, espinha curvada, baixinhos, quanto tempo demora a Europa velha de séculos a cair, cheia de berliquoques na moral, a dar o último suspiro ao som das palmas dos coveiros.

Cá eu ando armada em David raquítico a lutar contra Golias vestido de Robcop.
É uma festa mas pode lá uma lady deixar que aquele brutamontes com uma espécie de prótese na alma não veja por onde pisa...

Ainda acordo com um letreiro de IR nas costas, logo se verá.

Enfim...tenho andado mesmo mais depressa que o relógio...ainda nem tive tempo de comentar vestidos com lindos chapéus de sol:)

Beijinhos