domingo, junho 16, 2013

Pássaros pobres









Somos a gente que trabalhou e trabalha
e consome e se consome, neste país que é nosso.

Por todos os que sonharam Abril, o fizeram, o defenderam. Que o defendem, lutando por tudo o que é básico e nos roubam: pode ser um poeta, pode ser uma "operadora de caixa" de um supermercado, pode ser um professor ou um músico.
A mulher nova que nos serve, esperançada que as mesas se encham.
Uma velha mulher que espera para atravessar a estrada perigosa, sem que ninguém páre.

Podes ser TU.

Não seremos como o pobre pardal lutando por uma migalha.
Pedimos o doce completo: queremos comê-lo, ao ar.
E livres.

10 comentários:

Jorge disse...

Difícil fotografar um passarito! Ao menor gesto fogem. Lindas as imagens!

Kalinka disse...

olá
.
este fim de semana
estive "muito activa"
em relação aos meus 3 blogues
fiz um post
em cada um deles
2 no sábado
e 1 ontem

resultado:
hoje acordei pior dos olhos!!!

Não vale a pena
"fingir" que me esqueço
do meu problema de saúde
ele está cá
...
embora por vezes eu queira
"esquecer"
que o tenho
ele lembra-me da pior maneira

HOJE
quando acordei
tinha o olho inchado
e todo colado
do esforço que fiz ontem...
...
resta-me "aguardar"
que ALGUÉM visite os meus blogues
leia e veja os posts
que tanto esforço faço
e deixem um comentário

...
tem de tudo um pouco
nos 2 blogues
MOMENTOS PERFEITOS
e
OS MEUS PENSAMENTOS
faço referência
à FÉ

como estou perturbada
com este mal-estar
vou-me aquietar
e
simplesmente CRER

Gostei das imagens do lindo passarinho
à procura de comida
tão fôfo!!!

Beijo meu
Tulipa

Rosa dos Ventos disse...

É um direito que nos assiste!

Abraço

jrd disse...

Os homens pobres não voam porque lhes cortaram as asas.
Das migalhas não sabemos...
Abraço

Justine disse...

Nós TEMOS DIREITO ao doce completo, saboreado ao ar livre e em plena liberdade. Por isso temos lutado,Para isso continuaremos a lutar!
O passarinho é uma excelente metáfora!

heretico disse...

nem migalhas, nem voo de asas cortadas - assaltemos os céus!...

Lizzie disse...

Uma vez perguntaram a uma mãe brasileira miserável se estava feliz. Riu-se e disse que sim, que estava rica, que tinha mil e uma coisas para comer e que cada uma delas se chamava feijão.Resumiu assim todas as respostas e envergonhou as perguntas.

Nesta altura da História, da evolução, o chão dos pássaros já devia ser uma seara, que é paisagem livre, aberta.

Um chão de migalhas é indigno, consome os pardais na procura, na guerra por um átomo de farinha. Tanto que se podem esquecer de voar.

(As fomes são sempre variantes de liberdade condicional)

E esse é o maior perigo. Devagarinho, pode levar, quase, à extinção da espécie ou à contra natura de pássaros sem asas.

Abraço.

M. disse...

Bem apetitoso, o docinho.

WOLKENGEDANKEN disse...

Querida Bettips, muita tristeza aqui ultimamente ?

jawaa disse...


Tenho andado na mó de baixo, não me ligues... mas eu já estou convencida que somos todos pardais!
E mais
Alguns tordos, já caíram.
Um beijo