terça-feira, outubro 13, 2015

O campo III

Uma aldeia lindíssima, abandonada.
Disseram-me que os velhos foram morrendo.
Ali ficou, no azul e dourado dos montes ermos.



 





Assim sinto este país tão bonito e em tantos sítios degradado, de gente, de horizontes. A reconstruir, com firmeza e vontade.






O que pensarão os nossos pastores de cabras e ovelhas, das conversações decorrentes no reino de Lisboa?

4 comentários:

Justine disse...

Tanto crime impune contra este povo belo e este país cheio de possibilidades!
É tão triste...

heretico disse...

um país de rosto magoado...
e danos irreversíveis...

Mar Arável disse...

Belas as nossas pedras

até ser dia

Teresa Durães disse...

Adorava ter dinheiro para restaurar e viver numa aldeia assim