terça-feira, janeiro 23, 2007

Da Música






...teria muito a dizer por tanto que a sinto, há tanto tempo.
Como do Desenho. Como do Livro. Como da Palavra.

Se eu vivesse mais que a metade do tempo que vivo. Nem sei para que chegarão os dias ou as noites que estão para vir. Nem se escrevo tudo o que irei querer. Ou até se irei querer.
Dias balançam entre silêncio e controvérsia.

Esta é a sequência da foto que escolhi para "Música" do "Palavra puxa Palavra". Na altura que tirei estas fotografias era Primavera plena. Achei graça quando se desfez a procissão e as meninas pediam às mães para lhes tirar as grinaldas à banda e descalçavam sapatos.
Os homens conversavam e alguns pousaram simplesmente os instrumentos que tocavam na relva, no muro.
A procissão era a das corôas do Espírito Santo, em Povoação, S. Miguel. A música tocava um misto de acordos dolorosos a lembrar, vagamente, partes dos filmes de Francis Ford Coppola. Vimos brilhar o cortejo no cimo duma lomba e corremos pelo monte para o ver de perto.
Coisa pequena e todavia tocante. Talvez isso e o ar tão puro da manhã, trouxeram à tona de mim o lado místico e respeitoso que sempre tenho com as tradições, religiosas ou não.

Esses dias foram como descobrir tesouros, tocar o céu em mil formas, ver sempre o mar, ondular os olhos ao sabor dos recortes dos montes.
Atlântida, sem dúvida a imaginei ali. Seres e terras especiais.
Voltarei, sempre "que a saudade apertar".










15 comentários:

sa.ra disse...

Bom dia!

Que bonito texto!
É tão bompoder ver o mundo (mundos) através de olhos, mãos, ouvidos e coração como o seu... Há dias em que ando tão desolada com esta multidão de robots, de discursos decorados, a pretexto do que "é a vida... "

caramba, que vida?
a vida é o que nós quisermos...
bem... tenho esta mania de pregar aos peixes... de insistir... de querer tanto que haja vontade, vontage para olhar e ver a vida com outros olhos, outro coração!
sou teimosa... sou capaz de esmorecer(dizem-me que sim... que hei-de perder o "idealismo" e "cair na real")... mas por enquanto não desisto de acreditar que vale a pena pedir ... pedir esse outro olhar... como o seu, que caiu do céu, sem eu pedir, como uma prenda!
ai, obrigada por este bocadinho!
obrigada!

beijinho

Dia muito feliz!

LFV disse...

... e há situações em que a saudade, felizmente, aperta sempre! Eu gostaria de um dia ser grande neste meu limitado horizonte de pensar, de conseguir passar para além de S. Miguel como passa, tão serenamente, a intenção e o sabor sublime das tuas palavras. Parabéns, porque eu te invejo deste canto escuro, onde a poesia se reduz à pequenez da minha dimensão. O carinho de um beijo.

legivel disse...

... um texto onde "está tudo escrito o que queres". Que o resto ficará ao cuidado dos teus leitores depois de o lerem. E quem sabe, se devido à qualidade apelativa das letras, regressem a S. Miguel os que já lá foram e vão pela primeira vez os que nunca o fizeram.

abraço.

Tozé Franco disse...

Grande texto.
Quanto aos Açores, apenas uma palavra: deslumbrante.
~Um abraço.

Chanesco disse...

Minha cara Bettips

A poesia deste texto só podia merecer umas fotos com tal harmonia, que são música para os nossos olhos.

Abraço e boa semana.

o alquimista disse...

E quando voltares, saberás que reconstitui em espectáculo os 400 anos depois da primeira alma na vila de povoação. e que na ilha vivo e sonho com as cores do horizonte...


Doce beijo

wicky disse...

os Açores , São Miguel, são defacto uma maravilha!!!

um beijo para ti

Vida disse...

É sempre com alegria que entro num espaço e vejo fotos desta Ilha lindíssima que me acolheu já faz 32 anos. As fotos cheias de luz, estão acompanhadas de um texto cheio de sensibilidade e quem gosta "dela" assim, certamente que será sempre bem recebida por "ela", e cá estarei para o provar no dia que cá voltares.

Beijinhos com carinho.

Bela disse...

Gostei tanto destas palvras! Volta, volta sempre...para te sentir mais um bocadinho...beijos.

Teresa David disse...

A escrita do prazer da evasão que as viagens nos trazem!
Bjs
TD

greentea disse...

estivéste em Vila franca do Campo, no Ilhéu ? e foste a uma pequena praia deppois das Furnas que tem zonas de água quente e água fria e em qa areia escalda?

Um a maravilha os Açores - mesmo sem Prévert para ler ...

beijinhos

wicky disse...

nestas cartas naõ há SOL nem Mago porque asfiguras são outras e não há propriamente correspondencia

beijos e obrigada pela visita.

Licínia Quitério disse...

Estive lá. Estive. E essa Atlândida invadiu-me, conquistou-me. Que saudades...

Beijos.

Jardineira aprendiz disse...

Trouxeram-me saudades, também! Destas terras que não conheço e da primavera!

O frio dá vontade de hibernar! Ando a perseguir os ouriços cacheiros que roubam a comida da cadela, mas quando eles veêm a máquina fotográfica fogem! Bem, para dizer a verdade fogem sempre que me vêem! De resto a imaginação tem estado a hibernar, porque a resmunguice tem sido demais. Espero apanhar os ouriços. Até lá tenho muitas visitas atrasadas para fazer - estive sem net! E vocês escreveram muitas coisas interessantes na minha ausência!
Beijinhos

Unicus disse...

essas ilhas fascinam-me..
Beijo