quarta-feira, janeiro 31, 2007

Porto/Suécia












" A Viagem Maravilhosa de Nils Olgersson Através da Suécia"
de Selma Lagerlöf

"... Todos gritavam alto: só um bando de patos bravos voava em silêncio, enquanto Nils pôde segui-lo com o olhar.
Mas o triângulo formado por esse bando estava em perfeita ordem, com os intervalos certos, a velocidade costumada e o bater de asas vigoroso e rítmico.

Nils sentiu uma sensação tão dolorosa, uma saudade tão intensa que quase teria preferido voltar a ser o Polergarzito, para poder viajar com um bando de patos bravos, por cima da terra e por cima do mar."

Reflexão. Como uma seta de luz, vinda de tão longe.
Um dos poucos belos livros que eram mesmo meus; ainda o tenho.
Quase 50 anos e a maravilhosa sensação de viajar, livre, mantem-se inalterada, como o meu espírito que paira acima de quem não quer ver.

E era fim de tarde de Janeiro, junto ao rio de ouro e chumbo. Um passeio sequencial.

Fiquei emocionada ao olhar, vários bandos de patos selvagens, voando em V, nas plácidas nuvens rosadas.
Vinham da foz do rio. Do Atlântico? Inflectiam vagamente para Norte, o mapa desenhou-se no meu pensamento: regressam, passaram o Inverno noutras paragens. Que paragens?

Tão belos que eram!
Senti alegria, voltavam a casa para o degelo.
Nils deveria já ter aprendido a lição do bando de Akka e de gnomo passou a rapaz sensato.
E eu? Quando ouço o som e vejo a nascente?
Tudo o que de profundo nos ensinam os bichos, sobre a natureza do Homem.
E nesse fim de tarde, as viagens e contos de infância, como se tivessem sido mais que sonho.

12 comentários:

greentea disse...

muita vez ao olhar os patos no céu, recordo esse maravilhoso livro que tb li na minha infancia mas que creio não era meu.
Comoo devorava todos os livros que me chegassem às mãos nunca havia livros q chegassem e muitas vezes iamos a biblioteca buscar mais...
mas sei que essa maravilhosos viagem de Nils demorei mais tempo a ler porque era um enorme calhamaço de muitas e muitas página s...

bettips disse...

Minha querida, vale a pena tê-lo, relê-lo mesmo aos poucos, falar dele a alguém...a pág. que diz "fim" é a 400. É um livro "transversal" como diriam as pessoas na cultura da moda. É ageless!Que bom lembar juntas, não é? Bjinho e boa noite, doce chá.

greentea disse...

não o tenho , porque o que li não era meu.

Mas vou tentar reler, sei que era uma maravilhosa viagem !!

Bom fim de semana

Licínia Quitério disse...

Há livros que nos pegaram na infância e nunca mais nos abandonaram. Foram as nossas maiores viagens interiores. Quando pensamos que já são passado, irrompem pela nossa idade e dão-nos sensações de espanto e maravilha.

Bonita evocação aqui fazes dessa Viagem Maravilhosa.

Beijinho.

Bela disse...

Passando por aqui, como quem passa...deixo um beijo. sentido.

Betty Branco Martins disse...

Olá Bettips

Adorei "embarcar" nesta maravilhosa viagem - levada pela tua "mão"

Sempre que um livro me "chama" é mais uma das muitas viagens que faço

Beijinhos com carinho
BomFsemana

MAM disse...

Obrigada por me trazeres palavras novas... sabe-me tão bem como os degelos que vivi na Suécia!
armandina maia

Era uma vez um Girassol disse...

Não li, mas deve ser lindo...
Agradeço mais esta viagem...
"E eu? Quando ouço o som e vejo a nascente?Tudo o que de profundo nos ensinam os bichos, sobre a natureza do Homem."
Muito bonito o que escreves...
Deveríamos de facto aprender com eles!
Beijinhos

@Memorex disse...

As Fotografias estão esplonderosas, magnificas. Espero um dia puder realizar o meu antigo sonho, viajar pelo mundo fora.

Já fui presenteada por várias culturas na Europa e tive o privilégio de as saborear com grande intensidade.

Suécia, nunca fui, mas quem sabe um dia...

beijos
Memorex.

dulce disse...

O teu comentário etrou muito bem. Obrigada pela visita e ainda bem q gostaste da minha árvore. É lindíssima. É incrível como o tempo mostra na natureza a sua face. Tl como em nós as rugas surgem com os anos, tb naquela árvore, se nota o passar do tempo. Parece uma matriarca.
Beijinhos para ti.

Moura disse...

Fotografias que captam uma luz fantástica. Gostei!
A cidade também ajuda muito já que o rio acaba por dar tonalidades imperceptiveis ao mais comum dos olhares.
Bjo

Teresa Durães disse...

não li... :)
mas entendo-te!e entendo o que disseste antes!

um beijo!!!!!