terça-feira, julho 31, 2007

Citânia de Briteiros e "Vertente"












A palavra "Vertente"do PPP e o interesse da Citânia linda.

Levar um descendente travesso por linhas travessas. Um menino que veio do lado de lá do mundo redondo e aqui brincou, entre pedras antepassadas, com uma violinha das feiras.

Não ia eu ali há que décadas.

A Citânia de Briteiros é um belo e expressivo povoado, da época proto-histórica da Península Ibérica. O que se encontra à superfície é unicamente uma parte das escavações da organizada cidade castreja, com a sua rua principal e diversos bairros de habitação, os balneários, os sistemas de condutas e escoamento de águas, os núcleos profissionais.


Pensa-se que a fase inicial deste povoado teria tido início no I milénio antes de Cristo, pertencendo ao período designado como Idade do Bronze Atlântico. Entre o século II a.C. e os séculos II e III d.C. foi regularmente ocupada, tendo-se integrado no Império após a ocupação, pelos Romanos, do Noroeste Peninsular.
Há ainda vestígios de ocupações posteriores, da época cristã.
Temos, enfim, o olhar testemunho sobre dois mil anos de História, contada em pedra e artefactos da vida quotidiana (Museu da Cultura Castreja, no Solar da Ponte, S. Salvador de Briteiros/Guimarães).

A beleza do lugar não pode ser captada, na sua integridade, por amadores de história ou de fotografia. O sussurrar das gentes entra-te no coração, em silêncio, como se viajasses pelo teu pé incerto, subindo e descendro a pedra, na paisagem de tantos anos atrás. E todo o lugar é como se fosse uma catedral onde te sentas, a meditar no tempo.

Que ninguém com interesse por "nós" perca este caminho mais do que ancestral e belamente conservado. Para que - o que nos sobra de identidade - ainda valha a pena.

37 comentários:

Era uma vez um Girassol disse...

Interessante, Bettips, nunca lá fui.
Tanto beleza para visitar e descobrir, não é?
Com as preocupações do dia-a-dia até ficamos mais pobres e vazios!!!!
Beijinhos

isabel mendes ferreira disse...

obrigada....:)))))


a viagem que se faz assim pela tua mão.



beijo.

Kalinka disse...

Shiiii... tanta coisa cheia de saudade! um apontamento de Briteiros, local que nao conheço ainda, mas...quem sabe, um dia rumarei até lá.
Pelos meus lados, irei começar uma foto-reportagem das minhas férias no Canadá. Cheguei hoje, dia 1 de Agosto...ainda cansada, amanhã darei início às revelações.
Beijokas.

vida de vidro disse...

Já lá não vou há tanto tempo! Pelo teu olhar, voltei. E fiquei com saudades de voltar a sério. **

Luisa disse...

Visitei esse lugar há já muito tempo mas não esqueci a sua magia.

JPD disse...

Não conhecia.

As fotografias estão excelentes e o enquadramento que fazes muito bom.

Entre linhas... disse...

Muito engraçado este post,estava longe de imaginar fotos da Citânia de Briteiros,estudei-a na cadeira de Proto- Hitóriae achei-a bastante interessante.
Que bom reviver as nossas raízes além séculos.
bjs Zita

APC disse...

Magnífico!!! :-)

Uma narrativa rica, respeitosa e poética!

"A beleza do lugar não pode ser captada, na sua integridade, por amadores de história ou de fotografia" - gostei de o ler. Mas as tuas palavras ajudam e muito!

E as imagens estão um mimo. Todas, mas é claro que tenho as minhas preferências. Para além da 1ª, que se tornou oficial (lol), gosto da da cruz, do pormenor verdejante da 7ª, daquele caminho logo na seguinte, da antepenúltima e da penúltima (esta, assim como a 8ª, dava outra bela "vertente") e, claro, do supra-sumo: esse netinho maravilhoso, que, assim entre as pedras com aquele panamá, me fez desconfiar que fosse arqueólogo, mas a viola lá evitou que eu me precipitasse, e acho que afinal deve ser um cantor de música "noroestina"(!), será? ;-)

"O sussurrar das gentes entra-te no coração, em silêncio"...

Lindo! :-)))

Um abraço a ti, na minha ida.

jlf disse...

Conheço bem. Mas já faz tempo que não atraco nesse porto. Quando, afinal, ando tanto (já andei mais) por ali. Ainda há bem pouco.

Tens uma objectiva e um zoom óptimos. E ARTE!

Depois... É o enquadramento histórico
Depois…
Depois tem de ser sempre a poesia a que nos habituaste.
O penúltimo parágrafo… As duas últimas frases desse parágrafo são um poema.
E antecede-o (primeira frase do mesmo) uma constatação. A que eu acrescentaria: mesmo por profissionais… Será difícil.
E o último trecho?
Na verdade… o que nos sobra de identidade - ainda valerá a pena?
jl

Paulo disse...

Bettips, que sítio lindo para levar um futuro músico, que tem um ar tão bem disposto a admirar as pedras.

Gosto muito da Citânia de Briteiros. Vou lá com alguma frequência e a última vez foi em Maio. Acho que é um lugar com magia, inspirador de poetas e poetisas. O resultado está à vista: muito bonito.

Teresa Duraes disse...

olá

não estou em casa, nem sempre tenho net.

Posso dizer-te que aquele grande círculo de pedra era outrora a casa dos chefes das diferentes tribos. Num lugar como este, e depedendo da região, poderiam habitar tribos diferentes com os seus chefes. Os conselhos serviam para dividir os lugares de pastoreio, as defesas militares e (penso) que os casamentos para alicerçar as amizades.

Só conheço esta citania pelos estudos arqueológicos, nunca lá estive

beijos

Maria disse...

Bettips

Obrigada por estas excelentes fotos.
Acho que só fui uma única vez à Citânia de Briteiros, e ultimamente ando com uma vontade enorme de me meter no carro e ir sem destino, por aí acima, rever o que já vi há muitos anos e conhecer aldeias do interior que aind anão conheço.
A falta de tempo - sempre o tempo - tem-me impedido de o fazer. E confesso que com este calor também não me apetece muito sair do ar condicionado ou da ventoinha...

Foi uma viagem que fiz, através das tuas fotos. Mais uma.
Obrigada...

Beijinhos

Anónimo disse...

:)))))))))))))))isto é um sorriso. enorme. pelo coment."lá".




beijo. tb. aqui. de novo aqui.

Ana Patudos disse...

bettips
adorei as tuas imagens. Como gostaria um dia conhecer...
A do menino é de um carinho que só de olhar, encanta.
Comentar as imagens históricamente, eu não sei, mas pelo coração é que eu as vejo.
Eu raramente saio de perto de casa
:((
bjo
Ana Paula

Cris disse...

A verdade é que, infelizmente, nós, Tugas, temos uma forte tendência para nos esquecermos de quem fomos e só olhar para o que os outros são. Sem passado, não há futuro.

Lindas Fotos!
Beijinho
C.

maria soares disse...

Já passaram uns anitos desde que lá fui...Ao passar pelo teu blog, deparei com o lugar...e as tuas belas fotografias, fizeram-me reviver a caminhada que fiz por entre essas pedras...essas construções... cheias de história, cheias de vidas partilhadas...de amores e desamores...que certamente se viveram nesse lugar...

Foi boa a lembrança...foi bom voltar lá, através do teu olhar fotografico...

Prazer

Aragana disse...

muito tu passeias!

E ainda bem! Fotos lindas!

Pitanga disse...

Ai que lugar tão lindo. O meu Biólogo de plantão ia adorar.

beijos

triliti star disse...

não conheço, mas tomei nota e vou mesmo ver.
obrigado

Sophiamar disse...

Uma visita a não perder. A primeira vez que lá fui, já a primavera ia alta, encontrei a porta fechada. Era tarde mas o sol fizera-mo esquecer. Voltei no dia seguinte e fiquei encantada. Toda a paisagem, onde a citânia se enquadra, é deslumbrante. Todo o Minho é assim.
Quanto às fotografias, betti(ps)só posso dizer que estão excelentes. Por aqui também viajamos.
Beijinhos

hfm disse...

Há quanto tempo lá não vou! Creio que desde o verão quente de 75 quando andei por Trás-os-Montes e a conheci no mesmo dia que fui ver a terra onde nasceu Torga.
Obrigada por me recordares que tenho de voltar.

Luisa disse...

Dizes que foi difícil aceder ao meu blog? Não tenho ouvido queixas mas esta gente do sapo está sempre a pregar-nos partidas...
Quanto ao meu cantinho, é aqui mesmo na cidade. Infelizmente não está virado para o mar mas para um espaço verde, agora muito castanho.

Leo disse...

Um excelente local mas infelizmente não conheço,tenho tido muito pouca oportunidade de viajar,mas lá que me apetecia apetecia.
beijinhos
Leo

L. disse...

Vi o comentário no FC, verdade, por enquanto marcamos passo :)
Bjinho também.

De Amor e de Terra disse...

Que beleza estas fotografias; Obrigada pela partilha. Fez-me bem recordar pois já lá estive há tempo que já nem me lembro...
Bom fim de semana!
Aguçou-me o apetite de lá voltar.

Abraço da

Maria Mamede

Jardineira aprendiz disse...

Vale sim! :)

Gostei de rever, a única vez que lá estive era quase crinça, acho que não vi com olhos de ver.

Beijinho!

Naeno disse...

CONSTRUTOR

Construir uma noite é fácil demais
Basta juntar todos os pesadelos
E deixar-se embriagar pelos luares
Desembaraçar estrelas aos novelos
Tecendo distantes constelações
Nos nadas azuis do firmamento imóvel
Até que as distâncias unifiquem os tons
Parindo do escuro a negritude móvel.

Mais complicado é inventar o dia
Tem-se que ser operário da luz
Colher claridade do claro que se irradia
E bordar da luz do sol pontos de cruz.

Um beijo
Naeno

Frioleiras disse...

CARTA ABERTA DE APOIO A DALILA RODRIGUES

(http://www.petitiononline.com/mod_perl/signed.cgi?Dalila&1)

Frioleiras disse...

CARTA ABERTA DE APOIO A DALILA RODRIGUES

(http://www.petitiononline.com/mod_perl/signed.cgi?Dalila&1)

Teresa David disse...

Estive há mais de 30 anos na citania de briteiros e ainda me recordo do local que é impressionante. Belas palavras e imagens.
Depois de estar ausente da postagem quase um mês, regressei e aponto as razões, bem como as mostro.
Bjs e bom Domingo
TD

vida de vidro disse...

Bom resto de Domingo. Os Açores... sim, foi um encanto sem limiktes. Acho que algo de mim ficou lá preso. Vou ter que voltar. :)**

Jofre Alves disse...

Foi ha cerca de 40 anos que passei pela Citânia pela primeira vez, e foi uma paixão intensa, de tal modo que na década de 1970 anida andei a fazer uns acampamentos de trabalho de arqueologia, a sonhar com Arqueologia. Apreciei hoje como ontem esta beleza intensa. Boa semana.

Meg disse...

Eu não tenho nada para dizer, sentada que estou nesta pedra, a ver e a ver, a ver outra vez.
Porque das pedras me perdi, venho encontrá-las aqui. Não sei, nunca vi, conheço de um conhecer empírico.
Porque disto entendes tu, e aqui me deixo ficar e ler-te, a ver estas imagens...
Todo o carinho para ti

Quico disse...

Uma beleza, a citânia de Briteiros. Ai se o Ventor vê isto! Mas se uma foto vale por mil palavras, há tanto que ler nessas fotos!
Já imaginaste se houvesse máquinas fotográficas naquele tempo?
Vou dizer ao Ventor para me contar algo que tivesse visto por Briteiros.

Bichodeconta disse...

Bem eu estou encantada com as fotos, o lugar é lindo de babar. Parabéns a quem fez estas magnificas fotos..Um abraço, Ell

Vieira Calado disse...

O seu blog é pequenininho,
mas é bonitinho...
Uma boa semana para si.

Klatuu o embuçado disse...

É um belo lugar. Há vozes debaixo das pedras.