terça-feira, setembro 18, 2007

De saída em projecto





"Tínhamos 20 anos. Não admitíamos que ninguém dissesse que aqueles eram os melhores anos da nossa vida"

Paul Nizan, contemporâneo de J.P. Sartre. Morreu cedo. Mais ainda por isso, tem toda a razão no que disse. Mas nem sei bem se o escreveu assim: sei que eu lhe dou o significado do que sinto, agora.

Vou levitar os pesares noutras paragens, umas semanas. Imagino dormir nos montes de feno, o comprimido redondo do sol mais oblíquo e tomado a seco, com o ar líquido.
Imagino silêncio de Alentejo - temos tanta nostalgia branca e beige, alentejana... - tropeço o olhar noutras cores do mar mais a sul. Com as pedras e as oliveiras tenho encontro.

Nem sei quando me levantarei desse descansado/descampado.
Presa perto, tento construir um estar diferente, por ser longe.

(DEI: não tive/terei tempo físico/mental, para passar/falar com e nas minhas incipientes irmandades de espírito. As que me estendem a corda da frase, a mão dos sentimentos. Tenho-as e levo-as, todas no tal sítio-memória que pulsa, no bater do coração. E a memória é uma árvore carregada de frutos, nem todos são(s), que tantas vezes me pesa.).

46 comentários:

Jorge disse...

Muito bem conseguido.
PS: Adoro a "sesta".

hfm disse...

Paul Nizan era ainda um viajante como Simone de Beauvoir; assim desejo-te que os passos de levem na serenidade da procura.

Bouquet disse...

Sartre*****
Vim aqui ter ao acaso e gostei: quem me dera estar deitada nesses montes de feno, na sombra dos beijes e castanhos do nosso Alentejo!
Gostei! Gostei!
Um beijo e deixo-te um bouquet e obrigada por este minhuto de paz "descansada"

Meg disse...

Ah... A Siesta. As cores de Van Gogh estão presentes nesta ausência que anuncias.
No silêncio branco dum Alentejo de feno, e, quem sabe, um pouco mais ao Sul, junto ao mar azul,
Tão perto do mar.
A memória é uma árvore carregada de frutos...
Bons encontros com as pedras e as oliveiras.
Beijinhos, minha amiga querida

Entre linhas... disse...

Uma prespectiva muito bem vinculada sobre os amarelos de Van Gogh espelhados com o azul turquesa do céu em contraste com o mar.
bjs Zita

Teresa Durães disse...

(os meus não foram, ainda estão a ser e não tenho vinte :))

Vais por uns tempos. Tenho andado noutras lides (o vídeo foi feito por mim, com ou sem dúvidas :))

beijos

Maria disse...

Gosto do Vincent.
Os meus 20 anos foram dos melhores. Continuo com 20 anos...... de tempos a tempos.....

Boas férias, bom descanso, bom Alentejo
Beijinhos

butterfly disse...

É s´querer e os vinte anos regressam. O tempo dos sonhos, das dúvidas e das certezas.
O tempo em que estar deitada num monte de feno, olhando as estrelas, era eterno porque se tinha todo o tempo do mundo.
Boas férias nas planícies calmas do nosso Alentejo.

Simone Oliveira disse...

Um Van Gogh, uma janela, uma pedra...
Algumas poesias salvam, outras, revelam o caminho.
Que a luz se faça presente em suas letras e intenções.
Bjs,
Simone

viajante disse...

Um belo encontro com um Alentejo muito belo. Que tenhas um Estar ou Ficar com Paz.

despertando disse...

Fosse eu pequenina e pedir-te-ía para me levares num cantinho do teu saco para poder partilhar as tuas pedras, as oliveiras, o cheiro a feno e a mar, mas nessa impossibilidade, fico no meu cantinho.
Goza bem o descanço do Alentejo.
Beijinhos.

despertando disse...

Gosto de pastéis de nata clarinhos ;)

Manuelinho disse...

Que nesse fio quase invisivel, encontres a serenidade desejada.
Beijo, amiga

TMara disse...

não resisto: k saudades tenho da minha pátria-Alentejo.
Dá-lhe um alegre e alvoroçado grito de saudade e amor, por mim.
Deita-te na terra a sentir a sua força e pensda em mim, k eu receberei as vibrações. fala com o mar e diz-lhe o quanto o amo. Meu eterno amor-amante.
E por fim, but not at last, delicio-me com a riqueza e profundidade d euma frase tua k te vou "fanar" (dentificada) para usar um dia.
Qnd for o dia.
«(...)a memória é uma árvore carregada de frutos, nem todos são(s), que tantas vezes(...)pesa.»

Pitanga disse...

Ir ao Alentejo,para mim, é voltar a um passado mais que feliz!

beijos doces

jlf disse...

Também gosto dela, e tenho-a nos meus arquivos, a tela da sesta, do Van Gogh... Sóbria nas cores, rica no simbolismo.
E também imagino (de quando em quando constato) o tão expressivo silêncio do Alentejo, com “tanta nostalgia branca e beige”...

Curte bem esse suave Alentejo, onde pessoas e natureza nos ajudam a imergir num mundo de ansiada amenidade.

Até...

as-nunes disse...

Agora, à distância de 40 anos, digo que sim, que esses foram os melhores anos da minha vida. Mesmo com a tropa e mobilização para Moçambique, de permeio.
Há lá alguma coisa que nos meta medo? Não havia papões. Nem o do Futuro!
bj
antonio

Era uma vez um Girassol disse...

Férias serenas, de paz e cores leves.
Beijinho

addiragram disse...

Guardo bem presente na memória esse
livro que recebi quando fiz 20 anos!
E foi-me tão importante...

Uma boa e produtiva ausência!

APC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
APC disse...

Como ainda hoje dei por mim a escrever numa outra casa que nos é comum: "há algo de superior em não se ser jovem demais". Dos melhores anos, sabemos nós quando os vemos em retrospectiva. E os melhores que ainda hão-de vir, virão se não vivermos apenas em retrospectiva. É uma espécie de partida que o tempo nos faz. Temos que saber levá-lo, tanto quando fazermo-nos levar. E se fórmulas mágicas não existem, talvez nos baste (ou nos reste) essa vontade de estar vivo, e de viajar dentro e fora de nós, de sentidos asteados, sempre que o apelo se dê.
Boa viagem. Boa evasão. E bom regresso. Levas contigo o fio de Ariadne, por isso sei que te não perdes sem o quereres.
Estaremos cá à tua espera.
Um abraço! :-)

Kalinka disse...

Olá Amiga,

Bela época para gozar férias; o início do Outono, nostálgico como só ele saber ser.
Votos de boas férias pelo Alentejo.

Eu, tive uma recaída forte...dias 15, 16, 17 e 18 estive «fechada para balanço», é isso...estava «apagada» para o Mundo.
Depois comecei a regressar lentamente e, só ontem dia 19 é que vim ler os comentários e colocar outro post.

Dizer se estou melhor...é muito vago afirmar alguma coisa nesse sentido.
Estou VIVA e isso é que me interessa agora, acredita.

Agarro-me à Esperança e Fé em Deus, para poder continuar no Mundo dos vivos.

Beijos.

jawaa disse...

Ainda não fui mais abaixo, parei aqui, pq as palavras que escreves são tão sentidas que as senti em mim.
Força, mulher, uma árvore que deu frutos tem raízes fundas, ainda dá sombra acolhedora, ainda tem a faculdade de lembrar os 20 anos (quando são lembráveis...)quando precisa de fechar os olhos com força a pedir um milagre a alguém.
Às vezes acontece, é preciso ter fé.
Abraço apertado

herético disse...

"os deuses levam cedo aqueles que mais amam..."

(é muito belo o teu texto)

greentea disse...

a memória é uma árvore carregada de frutos ...nem todos sãos
(dizem que a melhor fruta é a que tem bicho...)

será?

beijinhos.

Jardineira aprendiz disse...

Imagino a brisa fresca do alentejo no outono a aliviar esse peso!
Até à volta!
Bjinhos

nnannarella disse...

Coração de feno dentro do Outono.
Ao dobrar de cada esquina, há aromas extremos e nenhuma cor, dos ocres aos violas, desafina.
Boa estada, por olivais de prata...:)

hora tardia disse...

os melhores momentos dos nossos verdes e espaNTOSOS ANOS....


______________


BEIJO.

Sophiamar disse...

Um descanso retemperador das energias perdidas nesse Alentejo que muito amo. Boas siestas!
Beijinhos

maria carvalhosa disse...

Amiga,

Lindo, mas não sei se me preocupe... (esta minha mania de te ler nas entrelinhas!...). Não, não vou preocupar-me contigo. Tu conheces melhor do que ninguém os teus caminhos. Vou apenas pensar em ti, com um sorriso, e mandar-te um beijo.

Chanesco disse...

Estariam esses melhores anos da nossa vidada na idade da razão?
E a sesta? Alguém nessa idade saberia o que é a sesta?
Agora sim, podemos encostar a cabeça, descansadamente, sobre as cores alentejanas.

TINTA PERMANENTE disse...

(não me dou em razões a Nizan nessas contabilidades e pesos; os melhores são-quero sempre amanhã...)

aconcheguem-se os olhos mai'la alma e perca-se o Tempo dos passos que for a dar; venham os deuses cuidar deles e regresse com coração cheio.

abraços ao voltar

hora tardia disse...

bebo contigo a essa memória.

___________________

saudosa.


beijo.

herético disse...

beijo

legivel disse...

... levanta-te (...) quando quiseres que cá estarei por estas bandas.

PS: Também me disseram isso e na altura encolhi os ombros. Tinha lá tempo para futurar o tempo... futuro.

abraço.

Bichodeconta disse...

E hoje o tempo foje e parece que não chega para nada, verdade? Este quadro é lindo, e eu que sou Alentejana adoro fazer uma sesta.. a sério, após o almoço, como os bébés preciso de descansar um pouco, depois fico renovada, e pronta para enfrentar o resto do dia..Um abraço, ell

ovoodacoruja disse...

O Nizan dos anos da nossa raiva!...com prefácio do Sartre, segundo creio!
O Alentejo, as pessoas, as árvores,as pedras...Boa estadia!
Um abraço!

Perdido disse...

Aos vinte, provavelmente, não se admite muita coisa, é uma idade tirânica, em que toda a gente diz o mesmo e ninguém pode dizer o contrário. É uma idade de muitas causas em que raras produzem efeitos.

Como se aproxima a minha terceira versão dos vinte anos, creio que mudei muito na maneira de pensar: há muito mais e melhor do que julgava então haver.

Só que aos vinte anos há uma enorme sofreguidão de viver, de começar logo, em berço azul, e acabar rápido em final cor de rosa; o futuro é já ali.

A árvore, quanto mais carregada de frutos, mais nos distancia o futuro. Viver torna-se o presente, o lugar dos pequenos detalhes, a pedra e as oliveiras, o descampado; a inacção e a inércia (nos montes de feno) podem tornar-se os grandes acontecimentos; como dizia o grande vate latino, "aurea mediocritas".

Sou crente na fé da grande deusa mãe. Quando repousamos no seu seio libertamo-nos dos pesares terrenos e levitamos. E somos um com o todo. Até ao nosso próximo regresso.

Vincent foi uma excelente escolha.

Sophiamar disse...

Deixo-te beijinhos e desejo-te um fim de semana calmo, alegre, pacífico...

Maria Manuel disse...

Sou para ti, como provavelmente muitos aqui, só um nome e palavras diferidas e as pequenas/grandes descobertas que fazes nelas... (retiro o "só"). Mas gostei de saber que nos transportas na memória, até em dias de outras paragens e de esquecimento...!

Não deixo abraços nem beijos que te perturbem o sono. Apenas este sinal de passagem.

Maria P. disse...

...

Beijinhos*

Frioleiras disse...

E Simone de Bouvoir?...........

Em tps...adorei-a!

agora, não sei...
O tempo urge !

Barão Van Blogh disse...

"...Vem ver a Lua envergonhada
Tímida junto das estrelas surgir..."

Boa semana .

despertando disse...

Vou ter de te ir buscar ao Alentejo. ;)
Beijinho

O Profeta disse...

Uma árvore carregada de frutos...a tua são maçâs de oiro colhidas no Jardim das Hespérides...

Doce beijo

nana disse...

e tantas vezes alimenta(m)....