quarta-feira, maio 23, 2007

Os novos




"Estilhaços
Uno-me em pontos supensos,
Suspensa em telhado de vidro.
Vidro estilhaçado nas mãos,
Mãos que seguro para não quebrar."
pág.16
"O teu lugar

Embala-te nos teus braços.
Faz de ti o lugar
Onde podes encontrar aconchego.
Envolve-te num abraço
E nunca te deixes cair.
Tu és tudo o que tens.
Embrulha-te em ti,
Agarra-te com força.
Tu és o teu lugar
E não te podes desabitar."
pág. 48

O lugar dos novos, Isabel Nogueira e o seu livro editado "Retalhos".
Uma voz para ouvir no monte, no espaço ilimitado.
A Isabel é uma menina que deu aqui som e liberdade à sua poesia diáfana mas sentida, no blog

Como não festejar o que é novo, bom e bonito.?Ainda por cima, passou-nos pelos sentidos o nervosismo das primeiras letras...
Espero com estes dois pequenos textos que escolhi, ter dado o reflexo da alma que os sentiu.
E que outros a queiram descobrir, espelho inteiro.
Parabéns, menina das esquinas luminosas.


7 comentários:

Bela disse...

Que palavras tão bonitas me dedica, Bet! Obrigada...:)
Neste momento sinto-me toda eu claridade!
Beijo

Ana Patudos disse...

Fui visitar e gostei muito.
beijos
Ana PAula

despertando disse...

Fiquei tentada a comprar o livro.
Bjs para ti

jlf disse...

Hoje, talvez já não. Mas amanhã vou dar uma espiadela.
Lá que promete... Promete.

legivel disse...

... é preciso sangue novo nas letras portuguesas. Que as novas palavras -na diversidade e na paixão da escrita floresçam e que os leitores não façam ouvidos de mercador ao seu apelo, são as minhas expectativas...

abraço.

G. disse...

É só para dizer que gosto tanto do seu blog que o desafiei.
Ora espreite lá o meu blog.

sem compromissos obviamente.

Teresa Durães disse...

tenho a mesma opinião do legível

boa sorte nestas novas lides