quinta-feira, maio 24, 2007

Reflexão pessoal


Porque não hei-de confessar um incrível cansaço?
Recorro aos Açores onde parece que encontrei tudo o que me poderia reflectir, desde a doçura das distâncias enganosas à agressividade das descidas para o mar.

Como se tivesse esbarrado com este tronco velho e polido pelas tempestades, árido pelo sol.
Andei à volta dele, com cuidado, sentei-me.
Sinto-o aqui, onde me magoam todos os ossos, nu e áspero como o que penso.

Para os que pacientemente me visitam, para os que vêm pela porta do meu quintal, o silêncio só pode ser compreendido como a imagem deste tronco perdido na areia.

28 comentários:

TINTA PERMANENTE disse...

Dizia alguém que 'o melhor local para repousar é em nós próprios; fazê-lo noutro lugar será inútil'...
Abraços!

Rach disse...

Olá querida Bett,

(desculpa a ousadia)

Será a espuma dos dias?
Não gosto nada de te ver assim tão triste... mas confesso que também eu viajo até aos Açores sempre que me sinto cansada

Um beijo

P.S Estou a tentar escrever-te, mas a perguiça é coisa danosa

pitanga disse...

O corpo tem linguagem própria. Nós é que não o sabemos ouvir. Dá-lhe o tempo que precisar.

beijos

Meg disse...

Mas esse cansaço, essa melancolia, Amiga, temos de vencê-los, porque somos sobreviventes da própria Vida. E quando digo nós, estou a pensar na aspereza dos teus pensamentos.
Um abraço grande

jlf disse...

Parece que andas com uma pinça à procura das palavras como se de pérolas se tratasse. ("doçura das distâncias enganosas". "Agressividade das descidas para o mar". Por exemplo)
E são. E gostei.
E cuido que entendi um niquito!
(Então, não sou mesmo um presunçoso?)
abr
zl

Kalinka disse...

Estou de volta, fui durante 4 dias de mini-férias para o Alentejo profundo.

Pelo kalinka poderás ler sobre o «Même» que recebi:
"Para ser grande, sê inteiro:
nada Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim, em cada lago a LUA toda
Brilha, porque alta vive.
"Ricardo Reis"

Beijinhos.

butterfly disse...

O tronco nunca estará perdido enquanto houver pessoas , como tu, que o escolhem , aliviando "cansaços incriveis".
Há semanas, meses, procuro um tronco qualquer onde possa apoiar a cabeça e dormir.

Teresa Teixeira disse...

Passo por aqui para retribuir a tua visita e dizer-te que não te admires com as minhas ausências...
Porque ando muito ausente e me sinto muito despojada! Esforço-me tanto por estar presente, como neste momento!
Outros dias virão e esperemos que sejam melhores! Um beijo

Jardineira aprendiz disse...

Se eu pudesse mandava um bocadinho de energia entre este bites e bytes. Por aqui às vezes também não abunda, mas vamos culpar este tempo instável e a depressão não sei das quantas bloqueada por não sei quem (se calhar até é pelo anticiclone dos Açores!)

E depois passa, quando a depressão for embora e o sol voltar! ESperemos pelo sol, então!

Beijinhos, entretanto!

Teresa Durães disse...

não estou cansada, apenas sinto que transporto sempre um mundo inteiro às costas. Por vezes apetecia-me sentar também nesse banco. Não pelo cansaço que não sinto. Para perceber porque o faço

um beijo

Frioleiras disse...

O que "tinta permanente" diz é tão certo....
pensa nisso !

Um bj
F.

bom dia isabel disse...

Deixo-te um beijo e desejo-te um bom fim de semana.

Cris disse...

Esse cansaço é um amigo, que te diz para parar, para te ouvires a ti mesma...

Um beijinho
Cris

Bruxinhachellot disse...

Esse tronco me lembra o abandono e a solidão. És uma bela reflexão.

Beijos de rosas e vinho.

sonhadora disse...

Desejo-te um bom fim de semana.
Beijinhos embrulhados em abraços

Alexandra disse...

Embora compreenda não só a fotografia como o texto e tendo a ousadia de dizer que provávelmente estou a passar pelo mesmo, gostaria de lhe deixar alguma palavras.

Um Amigo comum uma vez presenteou-me com esta citação:
"There is a crack in everything
That’s how the light gets in
(Joe Cocker)"

Acrescento ainda que o Tinta Permanente tem razão... se unir estas duas citações, vai possivelmente encontrar um sentido...

Bom fim de semana!

Paulo disse...

Costumo passar por aqui, embora nunca tivesse dito nada. Também me está a parecer muito melancólica e isso não é coisa boa na Primavera. Esperemos que o Sol venha depressa e toca a arribar!
Um abraço.

Frioleiras disse...

Eu costumava ouvir o Jorge Rodrigues , qd regressava a casa... E não entendi pq é q o programa desapareceu inopinadamente... Vou ver, mt obrigada, Bettips...

M. disse...

Venho deixar-te um beijo.

maria carvalhosa disse...

Querida Bettips,

Não me cabe contrariar o que dizes sentir... reservo-me o direito, no entanto, de proclamar aos quatro ventos que, se há coisa que o teu silêncio não me transmite, é qualquer semelhança com um tronco perdido na areia! Bem hajas por seres quem és e pela importância que a comunicação estabelecida entre nós (embora que, por vezes, assumindo a forma de silêncio) adquiriu na minha vida.

Lembra-te: um dia de cada vez... amanhã é outro dia!

Um beijo com muito afecto.

Tozé Franco disse...

É preciso parar de vez em quando.
De qualquer maneira, melhores dias virão.
Um Abraço

mena m. disse...

Vim para te fazer companhia, chega para lá um bocadinho, sentamo-nos as duas!
Um grande beijinho

herético disse...

um troco perdido na areia pode ser um encontro com a beleza. basta querer...

o alquimista disse...

A magia da noite envolve o puro pensamento, solto sonho paira sobre o errante pensamento...

Bom fim de semana


Doce beijo

bom dia isabel disse...

Deixo-te beijos , neste domingo soalheiro, com o mar à vista.

Isabel disse...

Silêncio compreendido.
sentada no tronco prartilho contigo o asento e o cansaço.
também estou cansada e tambem são nus e asperos quase todos os meus pensamentos.
Nu e delicado é o meu pensamento quando penso em ti.
Quando sentada no mesmo duro e solitário tronco, partilhando o silêncio partilhado te olho e sem quebrar a silenciosa e triste musicalidade silênciosa quebro a aspereza com um doce olhar, deixo uma ládrima triste rolar, sorrio e sem som digo-te: OlÁ.

olá B.

Isabel

despertando disse...

Tens de superar esse cansaço, essa forma de sentir.
Uma beijo e um abraço com muito carinho.
Quero ver-te bem disposta amiga

José Ames disse...

De vez em quando,um sinal que me é
muito grato.

Há dias, motivado pela leitura de
um destes "posts", fui ver o Museu
de Odrinhas.
Sarcófagos etruscos em Portugal?
Fiquei muito bem impressionado.

Temos de estar agradecidos ao excêntrico proprietário de Montserrat, ao que parece.