quarta-feira, maio 09, 2007

Viagem à Pérsia, como antigamente a conhecíamos das Mil e Uma Noites




Irão.
Não, não iremos nem irei.
É mesmo o Irão. Aquele país de que se fala, mal, e nos meteram na cabeça à força fazer parte do "eixo", qualquer que seja o que os US queiram sugerir.

Duma viagem cultural, uma amiga trouxe-me o itinerário dos 15 dias deslumbrantes que lá passou, dando a volta a todo o país. Escuso-me a falar do desenvolvimento duma civilização brilhante desde a Antiguidade, das cidades mongóis, das da Rota da Seda, da preciosa arqueologia recolhida, em museus ou ao ar livre, das cidades e da poesia persa, das mesquitas sumptuosas dos sultões, da Mesopotâmia, das montanhas e planícies, dos desertos, das grutas com baixos relevos, dos jardins, dos mausoléus.

Falo do que ela me disse ser a descoberta de um mundo diferente, rico em arte, gente amável e tranquila, tão diferente do que nos relatam os pressupostos comunicadores do Ocidente.

O postal da Grande Mesquita de Yazd, de cúpula azul, diz ter sido construída em 724 H (correspondendo ao ano 1345 da nossa era).
Esta antiga cidade de passagem de caravanas, teve enorme prosperidade até ao sec. XVII precisamente por ficar na Rota da Seda, que ligava o Mediterrâneo à China, através da India.

O outro postal mostra parte de um mausoléu do sec. XIV, em Soltanieh. As decorações têm todas um valor simbólico, reproduzindo letras de caligrafia artística, nomes de Alá e de preceitos islâmicos: representam a benção divina.

Como não precisamos de saber ler árabe para a receber, e pedindo a deferência de todos os deuses para o atribulado momento que a Humanidade atravessa, com ela ficamos todos abençoados.

31 comentários:

Margri disse...

É realmente uma civilização muito antiga e culturalmente muito rica.
O povo deve ser como muitos outros povos: pessoas simples e afáveis, mais preocupadas com o dia a dia que com os jogos políticos.

Mas um regime teocrático, baseado na sharia, em que ainda se cortam mãos a quem rouba, e em que os mollahs têm sempre a última palavra em questões políticas, não me parece nada aceitável.

Um abraço.

jlf disse...

Mais um belo texto. A substância e a musicalidade de sempre. A costumada poesia em jeito de prosa. Elegante português. Óptimas fotografias.
Irei ao Irão?
Nunca digo não.
De mesquitas já conheço várias não menos sumptuosas e célebres (a de Ayasofia – antiga basílica de Santa Sofia -, a deslumbrante Mesquita Azul e a não menos interessante Mesquita Suleymaniye)...
O sonho a concretizar proximamente – já para o ano, se lá chegar – é Angkor que um casal meu amigo me disse (e eu já confirmei, por aí) ser de suspender a respiação.
Eu gosto de ficar assim entalado e de respiração suspensa.
O Irão?
Já me contaram, quem lá esteve. Maravilhas, sim. Talvez calhe um dia.
Até breve.

Margri disse...

Enganei-me em cima, ao falar dos dirigentes religiosos: no Irão são os ayathollas (não sei se é esta a grafia), e não os mollahs.

Kalinka disse...

Deve ter sido uma bela viagem, essa que a tua amiga fez.

O mar sempre de fundo...
o mar que traz paz...
MAR
...MAR

CONVIDO-TE PARA LERES POESIA (da boa - Fernando Pessoa) SOBRE O MAR e, algumas fotos que captei em Março, de férias pelo sul de Portugal.

Bom fim de semana.
Beijitos.

Comentário disse...

Surpresa!

Teresa Durães disse...

só mesmo o preconceito e a ignorância é que leva as pessoas pensarem que os países, por serem de origem árabe, têm de ser 'atrasados'... pois pois! E com este excelente texto/imagens fazes uma bela homenagem a uma rica cultura!!

bj

Cris disse...

Gostei da "outra" maneira de olhar o Irão.

Beijinhos e Bom Wk

Cris

mac disse...

Dá vontade de lá ir não é? Pena é que tenha o lado negro que todos sabemos. É de perguntar como 1 civilização tão antiga e com 1 grande história, decaiu desta maneira.

Meg disse...

Estes são os sonhos impossíveis, já.
Sobras-me tu com o teu olhar e o teu sentir para me conduzires aos lugares, de onde nos chegam tão tristes imagens.
Já agora, ainda há bem pouco tempo, vi, de Luanda, as mais belas imagens, recolhidas, agora, por cineastas ... brasileiros.
Continuamos a ver só o que convem...
Um abraço

herético disse...

"Falo (...)de um mundo diferente, rico em arte, gente amável e tranquila, tão diferente do que nos relatam os pressupostos comunicadores do Ocidente..."

... e dizes o necessário!

Tozé Franco disse...

Os iranianos são persas e não árabes. Aí reside uma parte do problema na sua relação com os vizinhos árabes.
Independentemente disso, a arte muçulmana é muito bonito, nomeadamenete o suo de motivos geométricos na decoração e de frases religiosas.
Um abraço.

Arauto da Ria disse...

bettips,
belo texto sobre o desconhecido País que tanto engulho provoca no Sr.George.
Um bom fim de semana.

Era uma vez um Girassol disse...

Um belo post, com informação e imagens que deixam antever a beleza dum país com tanta história.
Mas...a mim não me apanham por lá...
Beijinho

legivel disse...

A denominada civilização ocidental, retrata as outras civilizações de um modo que não deixa lugar a dúvidas: "ou te ocidentalizas ou comes pela medida grande!" As diversas formas de antigos colonialismos, hoje tão condenadas pelo liberalismo ocidental, não acabaram. Têm outros nomes.

beijos e óptimo domingo!

Frioleiras disse...

Lindíssima ...

Ana Ramon disse...

E assim viajamos pelo mundo, sem sair de casa, nas asas de sonho dos teus post :))))
Um beijinho

Afonso disse...

Boa semana . . .
Espero a sua visita.

APC disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
triliti star disse...

bettips, é bom saber que há outras maneiras de ver as coisas.

Maria P. disse...

Belo este olhar diferente. Gosto de viajar com as tuas palavras.

Beijinhos.

Zé Povinho disse...

Há beleza em todo o lado e ela está no olhar de quem contempla. Gostei deste cantinho com assuntos diferentes, mais calmos e mais interessante do que aqueles que eu costumo comentar. A diversidade é importante e o respeito essencial.
Voltarei mais vezes

pitanga disse...

Nem tudo o que nos chega pela TV é verdadeiro. Há flores sob as pedras.

beijos

Anónimo disse...

Olá, boa tarde; vim aqui para agradecer a sua passagem pela minha "casa" e deparo-me, maravilhada, com a beleza de imagens e da descrição da viagem dessa Amiga, que tenho a certeza foi deslumbrante. Obrigada pelo que me(nos) ensina e mostra.
Beijos da
Maria Mamede

Teresa David disse...

Sempre me fascinou a cultura árabe e bem que gostaria de ir ao Irão. Não sei se terei tal oportunidade, mas do texto o que mais me ressaltou foi a memória da minha estadia de 15 dias em Marrocos, onde descobri um povo educado, gentil, onde mesmo no deserto, com a vantagem que tenho de dominar na perfeição o francês me apercebi que lêem e são atentos á cultura de uma forma geral. Como tão bem dizes que abismo com o que os US nos queiram impingir nas imagens de perigosos terroristas.
Bjs
TD

Ana Prado disse...

É claro que dá vontade de lá ir e este post serve, além de tudo, também da desmistificar essa imagem estereotipada com que conotamos o mundo árabe.
Mais uma vez gostei. E como:)

JPD disse...

Deverá ter sido uma aventura e pêras, viajar tanto tempo e tão longamente por lá.

Bela edição.

TINTA PERMANENTE disse...

Irão ou não. O trocadilho, engraçado na nossa tão traiçoeira língua, serviu para um proveitoso momento de reflexão acompanhado com belas imagens. É verdade, também, que sem o 'irão' ainda por estas bandas restam algumas referências dessas culturas que nos ilustram razoavelmente bem o seu valor.
Bom apontamento!
Abraço!

uivomania disse...

Ainda quero acreditar que o bom senso vai prevalecer e os homens vão entender, que pertencem todos ao mesmo. ...Oxalá!

Anónimo disse...

http://video.google.com/videoplay?docid=1296126090432829344

asn disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
asn disse...

Olá querida amiga colega, de profissão e desta grande tertúlia, que é a blogosfera.
Muito obrigado pela solidariedade de apareceres lá pelo meu canto, em frente à Sé de Leiria,e deixar um olá, que me fez bem.
Apesar do tempo do relógio e do calendário estar a ficar curto li e apreciei a tua preocupação na qualidade da informação que vais partilhando connosco...
Um grande abraço. Vou ao trabalho que se faz tarde.
António
(ai estes Sportinguistas que agora ninguém os cala. Passam aqui em frente a fazer uma chinfrineira que só visto e ouvido!)