sábado, setembro 06, 2008

D'ouro





...que será filho de todos esses afluentes que sabíamos de cor.
Aconselhamento: ir fazer essa viagem no tempo.
Antes que tudo acabe por cair na tal fuligem e os turistas sejam tantos que nos pensem forasteiros. E a gente se sinta, também, em terra alheia e folclórica.

16 comentários:

Alfazema Azul disse...

Um passeio inesquecível! D`ouro mesmo! E enquanto o tempo estiver bom é que é fazê-la.

Beijinhos

Bom domingo!

as-nunes disse...

Bela viagem essa, sem dúvida.
E que belo dia está hoje.
A manhã, que não mexe uma palhinha, sol radioso.
Vou até ao jardim...
Bom dia de Domingo

mdsol disse...

O Douro (região) é um casamento lindo de natureza e esforço humano! O Douro é, em si, uma lição e vida! Embora o meu Douro seja já de transição, também eu fui marcada por ele!
(se quiseres vê este post:
http://okayempatins.blogspot.com/2008/06/post-incompleto.html)
sorrisos dourados
:)

legivel disse...

... andei há bem pouco tempo por esses lados. Na altura, estava esgotado para o Pinhão (que era a que mais interessava) e fui apenas até à Régua. Mas foi bom de se admirar e relaxante.

Nunca me sinto forasteiro nem turista aqui ou noutro lado qualquer. Sinto, isso sim, uma vontade enorme de conhecer -dentro das possibilidades, como é que o homem vive (ao vivo e a cores) no pedaço de Terra que lhe coube em sorte(?!) ao nascer.

Assim, da próxima vez (e o mais rápido possível antes que a tal fuligem me desabe sobre a tola), a viagem será até ao Pinhão. Dessa vez -e para variar, na ida vou de forasteiro e regresso de turista. Se os ventos estiverem de feição, espero chegar a Águas Santas de automóvel.

beijinho e sorrisos.

Jofre de Lima Monteiro Alves disse...

Uma magnífica reagião, o Douro, aqui ilustrada por excelentes fotografias, de fina qualidade, a dar ideia deste passeio memorável. Boa semana com tudo de bom.

Jardineira aprendiz disse...

Às vezes dói pensar que o 'desenvolvimento' com base no turismo nos faça vender a alma, como acontece em tantos lugares.

Bom era que nos sentíssemos bem na nossa casa e na nossa pele, e os forasteiros fossem acolhidos como amigos que recebessemos na nossa casa feliz. Utopias?

Soube bem matar saudades ao longo destas fotos, há anos que não vou a estes sítios.

Beijinhos

Anónimo disse...

Creio que ainda fui, um pouco, a tempo. (Mas já nos sentíamos um bocado "amaricanos"...)
Até...
zl

Justine disse...

Vou seguir o teu conselho logo, logo. Aliás, há muito que me aperece esta viagem no tempo, para o reencontrar...
Obrigada!

Filomena Barata disse...

há quanto tempo não faço essa caminhada. Bettips, minha viajante, obrigada por relebrares esses lugares.

Mr. Lynch disse...

Bettips;
Olá! Como está a minha amiga?
Extraordinárias estas fotografias.
Sonho desde há muito efectuar duas viagens de comboio: uma pela linha do Tua e outra por um comboio puxado por uma locomotiva a vapor. Se conseguisse juntar estas duas viagens em uma... seria cinco estrelas! Viajar através daquelas maravilhosas paisagens, desfrutando cada momento sem pressa, sem horários...

Licínia Quitério disse...

Fazer turismo versus viajar. Parece-me que tocaste no ponto. Ou fui eu que por aí me pensei.

Beijinho, viajante.

Filoxera disse...

Tão bom, este passeio!...
Beijos.

heretico disse...

subo o Douro. ano a ano. em culto de memória... de mim!

beijos

Vanda disse...

ImAgens gravadas d'ouro.


O baile nos bombeiros...


...o cozido num restaurante junto ao rio...seria o "vela de ouro"? Escapam-se os nomes no rolar dos anos...

Apenas as imagens se detêm.


O "filme" pode ter sido um drama (ou uma tragico-comedia) mas que se desenrolou num cenário único, lá isso foi :))

Madalena disse...

Já fiz essa viajem. Felizmente.

Acrescento um conselho. despeçam-se de Tróia e do Sado. Voram vendidos aos estranjeiros e aos Donos do País. :(

Bjs Amiga.

Patanisca disse...

Estou de volta com um pedido de desculpa por não ter avisado que ia tanto tempo de férias. É visita rápida. Voltarei de novo para estar com tempo.