segunda-feira, junho 06, 2011

Cavalgar o futuro

Quem não tem cão, caça com gato.

Colcha de seda bordada a ouro séc. XVIII, representando a árvore da vida (Museu Penafiel).
E a árvore-vida, continua!



Cavalguemos o sonho!


Demissão

Este mundo não presta, venha outro.
Já por tempo demais aqui andamos
A fingir de razões suficientes.
Sejamos cães do cão: sabemos tudo
De morder os mais fracos, se mandamos,
E de lamber as mãos, se dependentes.


José Saramago in "Os Poemas Possíveis"

- tão actual hoje como sempre -

10 comentários:

goiaba disse...

Como quase tudo o que Saramago escreveu! Obrigada por recordar o conjunto de poemas desse livro Vou reler.
Cheguei aqui porque perdi os endereços todos depois da substituição do disco.Fui à "rosa dos ventos" e cá estou. Vou voltar!

Rosa dos Ventos disse...

Dizes bem...sempre actual!
Também tenho este livro de poemas...

Abraço

hfm disse...

Cavalguemos que os sonhos são cada dia mais precisos!

Justine disse...

A lucidez de Saramago! A sensibilidade da tua aproximação...
Beijo

Teófilo M. disse...

Não tenhas medo, ouve:
É um poema
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz...

Miguel Torga, Diário XIII

mfc disse...

Sim, temos que renovar(mais uma vez) a nossa decisão de lutar!!

heretico disse...

... que venha outro, depressa.
neste mundo que não presta.

e que a árvore seja vida!

sagesse e beleza aqui. sempre...

beijos

Filoxera disse...

Não conhecia. Gostei.
Beijos.

jrd disse...

Qual pégaso, há que partir à desfilada nas asas do sonho.

abraço

M. disse...

As marcas humanas de alguns.