quarta-feira, abril 25, 2007

Festa em Abril 1974

(Foto de FM)


Por ter vivido alegremente o 25 de Abril de 1974.

Por amigos meus terem podido voltar a casa.
Porque o meu filho não foi obrigado a ir para a guerra.
Festejar a Liberdade, SEMPRE!

15 comentários:

rui disse...

25 de Abril SEMPRE!

Margri disse...

Festejar a Liberdade, sim:
a de Abril de 74, que foi enorme (só quem não viveu antes ou tem memória curta o pode negar), mas também as Liberdades que ainda esperam a sua revolução.

Um abraço e um cravo.

Ana Prado disse...

Ah sim, festejar a liberdade de 74. Mas... e para quando a revolução deste país de memória curta, que hoje acorda estremunhado, incomodado até, com as canções que ecoam nas ruas e que lhe vêm importunar o sono de um dia de descanso? Falta ainda tanto...

Mas sim, fazer a festa hoje.
Cravos. Muitos.
E um abraço

herético disse...

um cravo vermelho. para ti...

Maria P. disse...

Um bom dia hoje, e sempre!

Beijinho*

Jardineira aprendiz disse...

Bem, eu sei que é um bocado pateta, mas a mim sabe-me bem o feriado! :)

EStou a brincar, acho bem que se festeje, apesar de não me lembrar o que era o antes, mas sei que a natureza humana é preversa e se nos esquecermos demasiado podemos voltar atrás. Liberdade, justiça e outros valores que uma sociedade deve prezar não são coisas que se conquistem numa revolução e ficam para sempre garantidas, tem que se cuidar - cultivar sempre.

Beijinhos

Teresa Durães disse...

tu és diferente. e como o sei, porque viveste estes anos e como sabes o quanto prezo a natureza selvagem (nada de multidões), deixo-te um campo livre onde percorres com o olhar uma imensidão de cravos. Cada um deles representará um amigo, um parente, quem queiras. Todos os que quiseram e lutaram para se poderem exprimir e falar. Viver, enfim.

Um beijo

Eduquês disse...

Assino por baixo.
Uma palavra de apreço para Salgueiro Maia.

sonhadora disse...

Hoje deixo-te um cravo e os meus sonhos. Liberdade. Justiça, Igualdade.
Beijinhos embrulhados em abraços.

Diafragma disse...

Impressionante e bem representativa a tua foto. Não posso deixar de pensar o que será feito de cada uma destas almas hoje, quantos não terão desaparecido, quantos terão ainda uma boa recordação desse dia.

Eu tenho.

M. disse...

Que estranha sensação eu tive ao olhar esta fotografia: lembrou-me Auschwitz. Será porque o 25 de Abril existiu para que a prepotência deixasse de existir? Pelo menos foi esse um dos seus ideais.

Mr_Lynch disse...

Bettips;
Viva a Liberdade!
Abraço

Arauto da Ria disse...

Ai o 25 de Abril!
Tão maltratado que tem sido.
Venha outro.
Um cravo para ti.

Maria disse...

Um beijo e um cravo vermelho.
Para ti.

Margarida disse...

Mais uma assinatura em baixo é sempre benvinda, aqui tens a minha.
vou voltar mais vezes gostei do que vi e li.
Guida