terça-feira, junho 12, 2007

Madrugada



Andorinhas, pardais, melros e gaivotas
acordaram em vôos rápidos que só eu vejo.
Como as manhãs seriam puras
lindas
frescas
esperançosas
se eu pudesse dormir em cama e sonhos
de normalidade.

17 comentários:

pitanga disse...

Uma manhã assim é que eu quero todos os dias.

´Vem à minha festa.

beijos

Maria P. disse...

Sabes o que me disse/escreveu, uma vez o nosso Amigo comum?
- Quando fotografares, olha para aquilo que só tu vês.

Até hoje é assim.

A tua Madrugada foi a imagem que só tu captaste.

Beijinho*

poetaeusou disse...

*
gaivotas
minhas amigas
queridas
guias das minha rotas
avisando
dos caprichos das procelas
amando
gosto delas
musas, ninfas, sereias,
beijando-as, nas oiradas areias
*
xi
*

mac disse...

Assim até dá vontade de acordar de manhãzinha cedo...

mena m. disse...

MORGENSTUNDE HAT GOLD IM MUNDE.
ou seja:
As primeiras horas da manhã são de oiro!
Lindo o que viste e sentiste!
Beijinho
;-)
PS.Só por curiosidade, aqui amanhece amanhã às 4.43h

Alexandra disse...

Mas este amanhecer é tão belo...e nem todos o veem! Que há de mais puro do que o amnhecer de outro dia?

As palavras que deixaste B. são tuas e nossas, de todos os que tiveram o previlégio de o "conhecer". E que previlégio!!!

Obrigado!

Beijo muito grande!

Leticia Gabian disse...

É um amanhecer maravilhoso....um misto de sonho e de enlêvo em asas de vôos rápidos. Adorei!
Beijinhos

Meg disse...

São como essa as manhâs que tento inventar em cada dia que começa.
De madrugadas feitas também de mar e céu no horizonte...
Manhãs de esperança, quanta esperança!
Grande abraço

TINTA PERMANENTE disse...

Manhãs assim não seriam...
São! E, aí, a normalidade explode todos os conceitos!...
Abraços!

Teresa Durães disse...

estivea ler os teus últimos três post. e a ver as tuas fotografias, claro!

não sei porque querias sonhos de normalidade. Nós somos o que somos se não, eramos outra pessoa qualquer.

beijos

TINTA PERMANENTE disse...

Uma passadinha apressada com reglex (que por lá respondi...) e pelas árvores que me deixaste: não estava, não! Não soube, não; soubesse bem lá estava!...

Meg disse...

E sabes, por acaso, quem, do outro lado do mar, traduziu e legendou o filme, quando da sua primeira exibição em territótio nacional (era assim que se dizia)? Este e tantos outros...inesquecíveis, minha amiga.
São tantas as memórias.
Beijo

jlf disse...

"Dormir em cama e sonhos
de normalidade"?

Hoje?

Onde?
zl

butterfly disse...

E eu adormecer tendo a certeza que ao despertar o sol brilharia.

hfm disse...

A tua cama são as palavras que não dormem.

Jorge disse...

Bonito.

Jardineira aprendiz disse...

Bons sonhos, hoje!