terça-feira, fevereiro 26, 2008

Camélias no museu









Desta vez não falamos nem as ouvi.
Havia um céu quase chuvoso e um silêncio de pátio abandonado.
Espreitei um jardim que não é, é proíbido, foi organizado para estar vazio.
Tem portas que só se abrem para "eventos".
Das ervas magras entre pedras sistemáticas, como se as pedras vivas fossem colecção.
Modernidades escusadas.
Há secretários e ministérios vagos que tratam disso tudo. Decretam.

As pedras? As velhas fontes desterradas?
Bastaria amá-las e fruí-las, entrar e respeitar um lugar oásis da cidade.
Sei que são as mesmas velhas camélias de um antigo lugar.

Mas desta vez não trocamos palavras, observamo-nos no tempo.
Elas, floridas e resistentes a cada Inverno.

17 comentários:

nnannarella disse...

Camélias,
o perfume delas
é talvez a cor.




Pedro Homem de Mello, in "Jardins Suspensos",1937.



____________________________

Camélias e museus são um par de sonho.:)
Beijo em botão.

mac disse...

"Em Vilar de Matos, cerca de 7 km de Vila do Conde, há uma quinta com 1310 camélias. A colecção, uma das melhores do mundo, é o resultado de uma paixão antiga de um homem que beija as plantas, fala com elas e chora quando alguma morre. Até 30 de Abril, a quinta está aberta a visitas." In "Fugas", "Público"

M. disse...

Onde é este sítio tão bonito?

Sophiamar disse...

Perco-me por flores mas por camélias ainda mais perdida fico...são... especiais... despertam-me os sentires... abrem-me sonhos de outros tempos... ai estes jardins que podendo ser não o são!!!!

Beijinhossss

legivel disse...

"... foi organizado para estar vazio."
Por vezes tenho a sensação esquisita que "Há secretários e ministérios... " que são mais fantasistas do que eu, porque bem vistas as coisas, é necessário ter um mínimo de formação e criatividade para "tratar e decretar" a não fruição e o desamor pelos jardins-museus. As minhas dúvidas não ficam por aqui: será que os ministérios e os secretários existem? ou serão fruto de um fantástico truque de magia artística arquitectada pelo nóvel filósofo das artes, que nem as camélias conseguem descortinar?


abraços.

butterfly disse...

As camélias da tua terra já floriram?
Que belas, recordando-me um amigo que um dia me ofereceu um enorme ramo de rubras camélias e um cesto cheio de laranjas.
Já vão abrindo os museus mas conservam espaços para iluminados. Serão?
Beijo e uma camélia para ti

Maria disse...

Gosto muito de camélias. Já uma vez, há muito tempo, levei daqui camélias....
... estão guardadas....

Beijo

mena m. disse...

Fotos extraordinárias, todas elas!
Gosto muito da 3ª, a árvore de flor ao peito!
São belas as camélias!
É lindíssima a casa!
Especial a última, com os azulejos a espreitar.
Uma maldade este jardim ser secreto!

Filoxera disse...

Hoje, a minha primeira visita aa este blogue foi uma agradável surpresa. Prosa poética e fotos lindas.
Beijinhos.

Meg disse...

E lembrei-me dela com 4 anos, chegada do outro lado do mar.
Quando chegou a casa dos avós, gritou para a mãe... olha, olha, duas árvores cheias de rosas!!!
Não são rosas... são japoneiras!
Oh!!!...

Beijos

Justine disse...

Que belos são os lugares antigos, que guardam as memórias da arte e da natureza

nnannarella disse...

(...)

De silva doida uma haste esquiva
quão delicada te osculou num dedo
com um aljôfar cor-de-rosa viva!…

Ligeira a saia… Doce brisa impele-a…
Oh vem! De branco! Do imo do arvoredo!
Alma de silfo, carne de camélia…


Camilo Pessanha
__________________________________

Flor que os poetas avizinham sempre à carnação.
Pedras, velhas fontes, jardins proibidos, azulejos roubados ao nosso olhar: carnação da cidade à espera de ser revelada em todo o seu esplendor.
Bom dia:)

Jardineira aprendiz disse...

Camélias, camélias... no sábado vou tentar ir ver a exposição que anunciaram no dias com árvores (ainda não é certo)

Suponho que não é neste lugar? Não conheço, pois.

Beijos

herético disse...

decretam Camélias?! quem nos dera!...

LuzHarmonia disse...

Onde é este maravilhoso lugar? Parece-me o Museu de Serralves...
Beijos de Luz

jawaa disse...

As fotos que falam do teu silêncio são belíssimas, mas esta sequência é um encanto, para mim, que adoro flores. Todas. Camélias brancas, são tão frágeis...
Serão como tu?
Tenho estado ausente destes espaços, mas não vim para o silêncio, antes para comunicar de perto com as minhas alegrias. Hoje sobrou um tempo para espreitar e ainda bem que vim aqui. Deixo-te um abraço, mais um, entre muitos que vejo.
Talvez ajude. É sincero.

Victor L. disse...

São lindas!