quinta-feira, fevereiro 07, 2008

Pueril *









Lagartixas, sardaniscas: no sol e sombra em paredes da minha vida.

Muitas vezes me (as)saltam as palavras.
Esta e só esta, hoje, traduz a efemeridade de um balão (ar) ou a lenta degradação do casco que foi barco (água).

Tempo pueril, o tempo do vôo como o do flutuar.
Ah... cavalos-ideias-ideais-pueris-à solta!
Reparei que "à solta" também me surge no apontamento abaixo...
Será, que é, uma expressão de força na alma em jaula.

* do velho dicionário:
"Pueril: da puerícia; que pertence às crianças; infantil; fig. fútil; ingénuo
(lat. puerile)"

43 comentários:

mena m. disse...

Os cavalos a correr,
as meninas a aprender,
ainda, agora e sempre...

Ah... cavalos-ideias-ideais-maduros-à solta!

levas-me a pastar os olhos nesses amarelos, verdes e castanhos lindíssimos, a imaginação a navegar as águas desse rio que levam ao mar.
Quero que o meu corpo acabada a viagem se entregue à terra como o barco e o balão me leve a alma, no voo final...

Jardineira aprendiz disse...

Às vezes pergunto-me porque nos encantam as coisas efémeras como esse balão. Será por serem leves como o ar?

Lembrou-me aquele poema, '...ter não sei quê do voo suave, dentro em meu ser.'

Beijos

herético disse...

lagartixas e sardaniscas. bichinhos simpáticos...

pueris no seu dardejar.

gosto.

viajante disse...

...e a falta, imensa, que me faz a serenidade para visitar espaços tão belos (Incluindo o blog).
Abç

Bichodeconta disse...

É sempre uma delicia passear por aqui o olhar.. Parabéns..um abraço..

rui disse...

Olá Bettips

O teu olhar inquieto abarcou uma infinidades coisas.
Adorei todas as fotoa, mas destaco a carcaça do barquito a desintegrar-se.

Beijo

Entre linhas... disse...

Um olhar imenso sobre o infinito,fotos magníficas como sempre.
bom fim de semana amiga
beijinhos Zita

Justine disse...

Os espaços que se apresentam selvagens, a alegria de nos deixarmos ir com os balões que sobem - tudo propostas de viagens saborosas. Ideias belas, como as fotos.

Isabel disse...

B linda, doce, pueril alma minha...

tu sabes como senti tudo isto

não sabes?

estas palavras,

estas fotos,

os reflexos

as sombras

os brilhos

( do que fica por dizer no espaço entre as palavras )

A minha alma anda prá'qui à solta feita cavalo selvagem...

as ideias, as esperanças, as vontades, tudo anda à solta...

só o tempo
só a vida me prende
só o RESTO me enjaula

belo tudo isto no entanto...
tudo é efemero
tudo se degrada
e ainda assim há uma ingenuidade que fica e teima em não ir embora

lembraste quando me disseste que eu tinha doçura?
sabes B tu também tens
tanta que te escrevo e sorrio como se sorrisse para ti
És doce e pueril... menina na jaula, ideias, memórias, anseios à solta.

Tenho de ir...
Desculpa, está tudo dificil.

Volto, breve

Muitas saudades das conversas no "Jardim das palavras soltas"

beijos
beijos

muitos

Isabel

nana disse...

a vida como (nos) é...

solta.






x

M. disse...

Gosto do teu olhar em filme e das palavras do guião...

isabel mendes ferreira disse...

recupero aqui um termo tão terno....



e que tanta falta nos faz.



.


bom fim de semana.


.

Maria P. disse...

Magnífico. Tudo.

Beijinho*

legivel disse...

... "à solta". É também (penso eu) do deixar as palavras libertarem-se, ganharem asas e irem por aí fora contando histórias que vão desencantar aos passados-presentes com que nos vamos cruzando. Por vezes, tenho de lhes pôr freio -com muita pena minha, pois as malvadas bem se pelam por me deixarem meio sem jeito. Mas é um prazer vê-las disparadas, sem "a voz do dono" a pontuar-lhes os movimentos ou impondo-lhes discursos rebuscados ou de fino recorte literário.
"À solta" lembra-me sempre o poema-do-cavalo à desfilada-do-Ary. Aquelas palavras já são música, antes de serem tocadas e só podem ter sido escritas de um fôlego. À solta.


abraço.

Pitanga disse...

Há imagens que a gente olha, e pára, e olha de novo e lembra de lugares, pessoas e ocasiões. Pueril.

beijos

un dress disse...

recolhes murmúrios: da terra

do

ar

e às vezes

talvez

de nenhum

lugar :)





.beijO

Meg disse...

Passo aqui tantas vezes, e quantas delas como hoje, olhando as imagens que nos deixas, imagens tiradas com os olhos da alma.
E não me restam palavras, acho até que elas atrapalham em certos momentos, distraem-nos de nós e do nosso olhar e sentir.
Dizer-te que as tuas imagens sempre me tocam muito, é muito pouco, pois a maior parte do que mostras me é desconhecido... vim de longe, de muito longe...
Quem sabe um dia, depois de esquecido o 2007 que lá vai.

Beijos sempre, mesmo que apenas sobrevoe, pairando...

Mar Arável disse...

Aqui respiro

o aroma da hortelã

a minha aromática preferida

As palavras

também precisam de aromas

~pi disse...

rente à terra

o

gesto...

hfm disse...

Obrigada pelo comentário. Estudei em Londres por isso a nostalgia é sp grande. A sombra e luz que me pedes vai ser mais difícil pois implica mais tempo e o tempo lá voa. É tudo para ver, passear e dp são os amigos.

Um beijo.

tufa tau disse...

o sentido figurado veio estragar a coisa porque aqui nada me parece fútil...

...
cavalinhos a correr
qual será a menina
que se irá enconder
...


abraço


ps - caso queiras voltar, o tufa cresce abaixo do primeiro post.

Era uma vez um Girassol disse...

Pueril, uma palavra doce com um forte significado...
A manter, sempre!
Ano do Rato, o nosso, ano de abundância, de novos desafios!
Que bom, Bettips!
Não esquecerei a digital, penso divertir-me, trabalhar muito, escrever ainda mais contando aventuras esperando que o humor esteja sempre colado às minhas palavras.
Beijokas

Mr. Lynch disse...

Bettips;
Sim, aquelas casas tão típicas são belas em qualquer local.
É lindo o tecto da Opera de Paris do Chaggall.
Belas as tuas imagens e serenas as tuas palavras.
Abraço

TINTA PERMANENTE disse...

Também é 'ingénuo', também é 'meninil', também é 'cândido', também é... faz-de-conta. Vida, quero eu dizer...

Abraços!

A.Tapadinhas disse...

Vejo um barco carregado de sonhos "tão concretos e definidos, como outra coisa qualquer"... E vejo os sonhos a voar, como todos os que são verdadeiros... para os quais não há jaulas que os prendam...
Abraço.
António

Maria Laura disse...

Vontade de ser pueril e de me encontrar nessas paisagens que captas. Pueril rima com infantil e é bom... à solta!

Teresa David disse...

divagação entre a aridez das primeiras fotos e o voar de balão, gostei!
Bjs
TD

Teresa Durães disse...

os quatro elementos presentes. gostei

Amor disse...

preciosas fotos

amor

Bloga Comigo disse...

De vez em quando ser criança faz sentido. Mudança temporária. Cor, sonho, vida.

Bjos

un dress disse...

tão de antes

tão latino tão antigo...

puer.

pueril.

regressado às origens.





.beijO

André Muralhas disse...

Só agora, na aula, li o comentário, é que foi a pausa de Carnaval…
Obrigado, bettips pelas palavras de incentivo, eu, na escola, esforço-me porque quero aprender coisas novas, mas só quero estudar até ao 12ºano, depois quero ir trabalhar em Design Gráfico.
Boa semana.
Bjs
André

*** Belíssimas fotos :=)))
Grata pela passagem no espaço do André.
Até sempre.
Abraço
eli

As Sombras de Fim do Dia disse...

no dia em que perdemos o que de criança há em nós.... desaparecem estas fotos delicadamente inocentes e encatadoras. Adorei a do Cavalo.

viajante disse...

Os meus Gémeos não são de Maio.
Deixei lá uma dica.
Bjss

jlf disse...

Ah! Como gosto da tua prosa poemada!
"Cavalos-ideias-ideais-pueris-à solta"? Todos temos as nossas reminiscências do passado: outros balões, outros barcos, outros bichinhos... Mas, no fundo, as mesmas ou semelhantes fantasias. Os mesmos sonhos!
A mesma ânsia de viver a nossa vida (quando preparamos a nossa autonomia).
Mentes saudáveis, felizmente.

abraço

Alien8 disse...

Bettips,

Obrigado pela passagem por lá.

Belas fotografias. Lançar um balão deve ser uma boa experiência...

Pueril? Pois que seja! :)

Boa semana.

@Memorex disse...

Sublimes....!

Beijinho da Memorex "desaparecida"

eremita disse...

Pueril...A palavra cahamou-me, porquê pueril?
Concluí que abençoado é todo o tempo que nós, adultos "soltamos e vivemos libertos" puerilmente. Assim o que nos ofertas nas memórias gravadas.
Fraterno abraço

jguerra disse...

Olá. Fantásticas imagens. Parabéns pelo blog. Tenho de vir ler com mais cuidado.

Um abraço

Tríade Aumentada disse...

Tempos pueris. Inesquecíveis. Por serem belos.

Abraço a triplicar

O Profeta disse...

Fotos representativas do passar de folhas de vida com palavras gravadas a ouro...


Doce beijo

Sophiamar disse...

Muitas vezes me faltam as palavras para comentar tanta beleza. Este regresso às origens, faz-me bem. Lembrei a minha Ria Formosa.

Beijinhosssss

D. Maria e o Coelhinho disse...

NESTE PLANETA.
TERRA,
NEM AS CRIANÇAS SÃO PUERIS!