sexta-feira, maio 30, 2008

(A)penas




Não existem as palavras:
(emu)decência
distanci(l)amento
longin(gen)(q)uamente
Palavras inventadas onde me encontrarei sem dicionário que chegue.

Não há nada de novo à face da terra??? quem teria dito???
Sentido. Muitos, cada vez mais.
Dizemos em segredo, sussurramos desencantos, quando podemos; e a quem.
Tomamos as palavras dos sábios e dos poetas para o alívio de sentir que alguém entende(u).

41 comentários:

dona tela disse...

Sinceramente, acha que o meu blog é pimba?

Muitos cumprimentos.

Jofre Alves disse...

Poema dum heterónimo de Fernando Pessoa, duma grande intensidade, até impressiona, então o verso final: «a única conclusão é morrer»!!! Também, nós, comuns dos mortais, temos dias assim, tal como todos! Boa semana.

amfm disse...

Estão gastas as palavras...

Beijo

N.M. disse...

Os neologismos de quem sabe a sua língua verdadeira, são sempre bem acolhidos.:)

E sim, a única conclusão é a morte.

Bjs

Justine disse...

As palavras tão limitadas e frágeis, para traduzir o des-limite dos nossos desejos e sonhos.

Maria Filomena Barata disse...

sim, mas hoje quero falar-te do viver. segredar-te que me lembrei de ti. fui ver um sitio sagrado e escutei-te, sem querer, lembrei-me como as tuas palavras , mesmo que em postigos trocadas, me conseguiram dar as flores deste maio.
Para ti uma das flores do meu Maio.

Anónimo disse...

Quem te disse que não existem as palavras?
Basta que as utilizes... E aí estão.
Também gosto de ser "inventador" de palavras, quando as que existem não me estão tão ao jeito.

Mas...

Que se passa, minha boa amiga?
Meia tristonha?
(Talvez um tanto lúgubre, mesmo!)

Mas que é isso? São só 60 lindas primaveras!
(Às vezes passo por essa. Mas eu já "arrumei" 70 invernos.)

Claro que compreendo.
De todo o modo: arriba, Bet.

especial abraço
zl

meg disse...

E de repente encontrei-me no dia em que entrei nesta estrada que tenho calcorreado como posso,
E as palavras fizeram-se bem presentes e muitas interrogações me assaltaram.

Não me tem sobrado tempo, minha amiga, estive ausente... nos viveiros, lembras-te? e as visitas sentiram, mas estou de volta para dar conta do recado e ler quem tanto apoio me tem dado.
Um grande abraço e o melhor fim de semana!

B

Jardineira aprendiz disse...

'A única conclusão é morrer' Há quem diga que nem essa...

Somos todos crianças. Tudo é novo à face da terra!

Bjinhos!

Filoxera disse...

Que inspiração! Fotos e texto tão bem entrelaçados...
Merecia maior comentário, mas estou ensonada e amanhã a minha pequerrucha faz anos.
Beijos.

herético disse...

decobrir o sentido "oculto" das coisas e arte de poetas. inspirados. como tu...

excelente.

mena m. disse...

Pois então que se inventem as palavras à medida do ser e sentir de cada qual!

Um pouco blue este post , mas muito belo!

Um grande beijo!

Alien8 disse...

Bettips,

Por tudo o que não tinha lido por ausência forçada, e agora li, por tudo o que não tinha visto e agora vi, cito-te:

"Não será esta a mesma Europa que puxa o lustro às cadeiras em Bruxelas."

Não, claro que não é.

Gostei muito, mesmo muito, do que vi e li. O meu pecado será talvez gostar de futebol... mas que fazer, ninguém é perfeito :)))

Uma boa semana e um beijo.

Alien8 disse...

Bettips,

Em separado, porque achei que assim deveria ser: Aquelas palavras AGORA existem! :) E são belas criações. Estes acordos ortográficos é que deviam valer!

legivel disse...

"... Não há nada de novo à face da terra???"

Óh! pessimismo dos pessimismos! Claro que terá de haver. Ainda está muito por dizer e por fazer. Teremos é de trocar as voltas às palavras e aos actos, que elas e eles já conhecem de ginjeira as nossas exigências... "artísticas".

Como escreve o "outro" Alberto, experimentemos* fechar os olhos e as janelas e perceber se distinguimos as paisagens que amamos. Se sim, estamos no caminho certo.

*O teste não carece de receita médica e deve ser feito em casa.

Beijinhos e sorrisos optimistas (apesar de tudo).

dona tela disse...

Haja alegria por aqui também.

Mar Arável disse...

Em cada um

há um sábio

e um poeta

por descobrir

Ana Ramon disse...

Passei para te (re)ler e deixar um abraço muito apertado.
Beijinhos

Teresa Durães disse...

nas palavras de alberto caeiro os momentos são todos sentidos

Natur Line Sex disse...

A vida são dois dias.
Ninguém fica cá para semente.
Há que aproveitá-la ao máximo.
Vive cada dia como se fosse o último.

Tudo frases que resumem o teu excelente post. Para ler e reflectir e passar a viver como deve ser. Ou seja, sem medos! Felizes e contentes!

meg disse...

Não há palavras mas inventamo-las para nós e quando as não encontrarmos...

Tomamos as palavras dos sábios e dos poetas para o alívio de sentir que alguém entende(u)

Sinto-te triste e sinto-me também!
Porque não fui capaz de encontrar as palavras certas.
Que bom é pregar, pior e mais difícil é perdoar, minha amiga!

Beijinhos

sa.ra disse...

Olá querida Bettips,

Não sei se a única conclusão é morrer. Não sei grande coisa.
Tenho muitas dúvidas.

Sei que existem dias em que dormir é uma imitação da morte, porque me leva para longe deste mundo. Porque me ausento completamente.

Mas, um dia, é bom acordar. Mais: é bom sentir-me desperta outra vez.

Talvez a morte possa ser assim, também desta forma, uma espécie de conclusão - A metáfora da morte pode ser uma conclusão única.

Se puderessemos dormir como quem morre, ou morrer como quem dorme e renascer como as árvores na Primavera...

Mil beijos

Dia muito feliz

Licínia Quitério disse...

Não direi negro, mas...cinzento escuro. Deixo-te uma gota azul.

Beijinho.

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

Mas sim! Um dia descobrimos que há sempre algo de novo à superfície da Terra. E mesmo que não acreditemos, os nossos olhos hão-de ver.
Nas pontas dos dedos, com muito carinho, atiro-te um beijo.

nana disse...

(não?) é bastante o toque

para dar vida ao que existe




..

Mia disse...

No dia Mundial do Ambiente reflictamos sobre o património artístico e natural a preservar. Para bem de todos.

bjos

SOBRE O BLOG disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
meg disse...

Bettips,

(A)penas?...e de ti me preocupa o silêncio aqui, já tão longo.
Ou andas em recolha de matéria?
Ou meditando sobre viveiros...
e o que nos faz procurá-los. Desinfestantes? Sem dúvida, mas eu sei que tu estás atenta, tu sabes.
Beijinhos para ti

Frioleiras disse...

Adoro A Caeiro, adoro Á de Campos
e, ainda mais quando Fernando Pessoa.

Toma lá, ofereço-to:

................................
Prefiro rosas, meu amor, à pátria,
E antes magnólias amo
Que a glória e a virtude.
.
Logo que a vida me não canse, deixo
Que a vida por mim passe
Logo que eu fique o mesmo.
.
Que importa àquele a quem já nada importa
Que um perca e outro vença,
Se a aurora raia sempre,
.
Se cada ano com a Primavera
As folhas aparecem
E com o Outono cessam?
E o resto, as outras coisas que os humanos
Acrescentam à vida,
Que me aumentam na alma?
.
Nada, salvo o desejo de indiferença
E a confiança mole
Na hora fugitiva.

(Fernando Pessoa)
...................................



bj

Perdido disse...

Sim

dona tela disse...

Tenho lá um desafio muito giro.

P.S. Então é assim: Como ainda não sinto categoria para comentar, vou deixando o mesmo recado em todos os senhores(as). Certo??


Até logo.

Era uma vez um Girassol disse...

Vou antes falar de nascer...
Minha querida gémea, hoje nasceu mais um para o nosso clube!!!!
E a mãe, que é minha filha, vai ter um trabalhão....
Beijokas para te animar!

velha gaiteira disse...

beijoquinhas amigas!

Graça B. disse...

Olá Bettips!

Ou então...gritamos porque estamos vivos, rimos para esquecer que já estamos mortos e choramos porque estamos sós à mercê desta doce e amarga evidência. Digo eu...que não sou nada, nunca serei nada, não posso querer ser nada e à parte isso, também, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Um post muitíssimo interessante. Um bom domingo.

Maria Filomena Barata disse...

Bettips no meu quintal ao luar ficou um abraço do dia da Língua Portuguesa. Porque as tuas palavras bem vivas estão. Bjos

dona tela disse...

Andei na passeata. Gostei.

Uma noite descansada.

busillis disse...

Viva :)
Que busillis...
Hoje é dia da minha apresentação!
E aqui estou.
Espero a tua visita...se quiseres!

Luisa disse...

Tanto tempo sem aqui vir ao menos para agradecer a visita ao meu blog marluisa. As causas para este afastamento são as mesmas de todos: falta de tempo. Claro qe tu não dirias assim: tens a arte de inventar palavras e termos que têm muito mais força do que as nossas banais frases. Mas cada um é como é e não há que imitar os "génios"...Até quinta feira no PPP.

Ana disse...

Vim aqui, estar um bocadinho contigo...

Um abraço te deixo.

isabel mendes ferreira disse...

("e daqui quero Tudo").




abraço.