domingo, maio 18, 2008

De Museus I






Era uma visão há meses e era o dia, Hoje.
Para MFB um dia luzente.
Entretanto, estas coisas de pensar, são as gavinhas das videiras/vidas enrolando-se.
Para sobreviver ao supérfluo, o espírito flutua e revolteia em quantos lugares. Perco-me do rumo que julgava voluntarioso.

E havia Miróbriga, quase fora de horas.

Precisosas e guardadas estão as tardes de sol nos caminhos a descobrir.
Também as horas do pormenor, das mãos, das jóias, dos traços, das tantas artes que o Homem e a Natureza tecem.

Esse sendo o meu entretimento, ou entretecimento, principal.

31 comentários:

hfm disse...

Belo!

legivel disse...

"... das tantas artes que o Homem e a Natureza tecem."

Depois de um domingo de Primavera que teima em mostrar o semblante mais triste que possui (estou em crer que agora até as estações se tornaram comediantes) salva apenas?! por Beckett e João Lagarto, regresso a este teu entretenimento principal: o de acreditares que as "preciosas tardes de sol dos caminhos a descobrir, estão guardadas... "
As chaves estão bem entregues.

abraço.

amfm disse...

"Esse sendo o meu entretimento, ou entretecimento, principal.". E este, o meu:)

Bj

Maria Filomena Barata disse...

Não sei, quase me puseste a chorar.
Lindo o teu sítio, o teu museu.
Tinha acabado de editar a tua mão. O teu murmúrio.
Bettips, os olhos estão rasos, não fico com medo de o dizer. Obrigada pelo teu olhar. Mulheresaoluar

Teresa Durães disse...

:) lindo!

dona tela disse...

Olha que graça. Eu este fim de semana fui a um museu. Conto tudo lá no meu blog. Não quer lá dar um saltinho?

Então uma boa tarde para a senhora.

Maria Filomena Barata disse...

vestisse a seda o corpo frio, mas mordo as mãos para não chorar. virá o sol e o vento. vou-te abraçar.

miruii disse...

Ena, ena, lá que passeias, passeias!
Quase mais do que eu, ehehe!
Picada amiga

herético disse...

preciosos são o tempo e as mãos que tecem cambraia assim. e o teu olhar...

Mr. Lynch disse...

Bettips;
Como está a minha amiga d'O Beijo?
;-)
Tudo bem, espero.
Revi-me no teu texto... Não interessa onde vou, a questão que me persegue é sempre a mesma: onde me conduzirá este caminho...? A descoberta é sempre tentadora.
Maravilhosas as tuas fotografias.
Beijinhos

Justine disse...

Visitar o passado para entender melhor os dias nossos, ou o olhar que vê para além do óbvio.
O olhar é que conta, por aí começa a viagem :))
Beijo

Ana Ramon disse...

E este constante avançar e retroceder vogando sobre as tuas palavras no intuito de lhes extrair todo o conteúdo possível.
Um prazer sempre presente

jlf disse...

De imagens estamos conversados...
De textos, pensava eu que também. Mas mais e mais soberbos vão surgindo.
As palavras estão demasiado gastas para não soarem a lugares comuns.
Direi tão só: que texto!
Muito obrigado, Bet, e um abraço
jl

rach. disse...

Desculpa, Bett,

mas estas são as pedras que gosto de encontrar no meu caminho

1 beijo

mena m. disse...

És de facto uma excelente guardadora de pedras!
E nós priveligiados, podemos beber na tua fonte.
Lindas as palaras que teces com o que os teus olhos vêem!

Um abração

~pi disse...

apetece o que deve apetecer:

per mane cer :)





~

un dress disse...

... nos museus acesos de memória... :)







beijO

Maria Laura disse...

As horas dos tesouros que compõem a beleza da vida. Aqui, contigo.

Betty Branco Martins disse...

querida_______Bettips





sim_______são eles_______os arquivos.da.memória





______os museus_____[...]







_____________lindo!













beijO___C______carinhO

Simone Oliveira disse...

O melhor que uma alma pode ter !!!
Quisera a arte fosse assim para todos.
Belo demais !!!
Bjs,Si

Maria Filomena Barata disse...

No meu Luar ficaram os teus Gémeos.

Bichodeconta disse...

Com emoção passeio por este espaço tão interessante.. A vida feita de partilha fica mais agradável..um abraço, ell

isabel mendes ferreira disse...

"guardo preciosamente" o teu abraço.


.



no recato dos dias.

.

que se aguardam menos engessados...

:)


bjjssssssssssssssssssssss.

meg disse...

E eu que tanto de pedras falava, me encontrei delas tão afastada, pela vida e pelas suas circunstâncias...! Então tu entraste no meu jardim e eu vou conhecendo pelas tuas imagens, pelos teus olhos e sensibilidade, muito do tanto que não conheço deste país, e vou tropeçando nos calhaus que a vida nos atira à cara todos os dias.
Hoje é um desses dias.

Beijinhos para ti

Conceição Bernardino disse...

LANÇAMENTO DO LIVRO “SINAIS DO SILÊNCIO” – Rosa Maria Anselmo
Queridos Amigos (as)

"Sinais do Silêncio" está quase a nascer! A sua apresentação será feita no dia 7 de Junho, pelas 16 horas, no Diana Bar – Av. dos Banhos, Praia da Póvoa de Varzim. Será um privilégio ter a vossa companhia nesse dia.
A apresentação do Livro será feita pela poetisa Conceição Bernardino, e o prefácio da autoria de Alice Santos. Aqui fica um excerto desse mesmo prefácio:
"No segundo livro de Rosa Maria encontramos uma mulher muito mais liberta, onde a escrita e a paixão andam de mãos dadas, inseparáveis, qual par de amantes.
Surge uma Rosa que resolveu desabrochar e nos mostra a alma desnudada, sem pudor ou preconceito, sem receios, medos, falsos moralismos. Uma mulher mais atrevida nas palavras, com diálogos interditos, e, por isso, mais despida de si e vestida de candura, sedução e desejos.
A sua essência consegue conquistar o impossível pois, quem ler estes versos vai ser protagonista do encontro mágico entre o ser e o sentir.
A poesia entranha-se de mansinho na alma do leitor, entreabrindo a porta da imaginação e deixando-o transformar-se em tudo o que sempre sonhou e nunca ousou concretizar."
Espero por si.
Rosa Maria Anselmo


http://ocantodarosa.blogspot.com

email da autora – rosaafernandes@gmail.com

Obrigada Beijos – Conceição Bernardino

FL disse...

Entretecendo pedras, montes ciprestes e palavras boas de ler deixou-me uma paz grande e bem precisa.

Obrigado.

:)

miruii disse...

Gosto das tuas fotos que venho muitass vezes sobrevoar em silêncio.
Mas ouve, por que andas tanto por entre as pedras, sem flores?
Gosto mais das tuas flores... e tu também precisas mais delas...!
Piquei.
Fuiiiii!

Maria Filomena Barata disse...

acordei hoje a pensar em ti ... tens razão, por vezes, saiem os pensamentos a voar, cheios de emoção.
mas neste museu da memória que é o teu e meu a paixão também teve lugar
sem ela não teria havido espaço para o sonhar
belas que são as caixas de luz onde se escondem objectos e histórias de encantar

Tozé Franco disse...

Bonito sítio.
Um abraço.

Perdido disse...

Os lugares do espírito. é preciso chegar e emudecer. Como no deserto, é preciso ouvir o que os lugares têm para nos dizer. em muitas alturas só ouvimos o murmúrio dos ventos que vêm de épocas diferentes.

Filoxera disse...

Assim começa, lindamente escrita, a hsitória destes episódios consagrados a Miróbriga.
Obrigada pela lição!