terça-feira, maio 27, 2008

Sem medida


Tenho tido no meu mail, diálogos como eu os imagino soltos: "ao postigo do quintal".

Alguma confusão entre amigos
conhecidos
encontrados
de peito de coração de intimidade de vizinhança de gostos
ou desgostos
de palavra.

A Ana Ramon, da Paixão dos Sentidos, que eu não conheço, a não ser há meses e meses de nos lermos esporadicamente mas sempre com agrado, deixou um comentário no meu lugar. Fez-me sorrir; passou-me pelos olhos uma fotografia tão real e tão imaginária como a frase.
Metáforas e imagens de que me alimento; muitas vezes bem, outras vezes indigestas.
Eis o que me escreveu, tão simplesmente:
"Os amigos têm destas coisas: encantam-nos o olhar e quantas e quantas vezes o alargam, rasgando-o, obrigando-nos a ver mais longe e mais preciso."

Senti exactamente "como a paisagem mais longe"que me apareceu, nas suas cores antigas, ao mesmo tempo que a lia.

Para mim e ainda, porto de abrigo e beleza, esta.
Tudo o mais não me são letras
mas tretas.

21 comentários:

Jardineira aprendiz disse...

Ena, sou a primeira!

Linda a frase da Ana, que não me surpreende do também pouco que conheço dela aqui.

(Fiquei a pensar... o rasgar pode ser doloroso, às vezes. Há amizades que se constroem em pedra dura. Divagações minhas de outras vidas, minhas, que vieram agora à tona)

Bjinhos

PS - não comentei, mas achei interessantíssimo o passeio ali embaixo!

legivel disse...

Curiosamente, há momentos atrás, no blogue da Filomena, por via de umas rimas deixadas desafiantes (e que delas só hoje dei conta) a outras que antes tinha eu deixado, fiz um exercício de reflexão, sobre a causa das coisas em forma de palavras que pelo virtual vamos deixando uns aos outros. Não sou assim tão para o sério como transparece das palavras da Ana Ramon. Mas subscrevo-as. Tal como subscrevo aquelas com que subscreves as dela. E eu subscrevo-me, antes que essa coisa "das emoções" me baralhe o sentido da escrita, que é algo que me deixa desorientado,

Abraço Legível.

Ah! Já me esquecia: quando abri a página do teu blogue e vi a imagem, pensei "Não me digam que desta vez é que projectaram uma ponte que liga directamente o terminal fluvial do Cais do Sodré com a Costa da Caparica (sim, eu sei que a ponte tinha de dar uma curva, mas algumas são assim não são?). Afinal não era nada disso, desse sonho pontual que me persegue desde jovem...

Filoxera disse...

Foram bonitas as palavras qu a Ana te deixou, mas não menos bonita a reflexão a que deram azo.
Muito bom, este post!

viajante disse...

"Com medida"
A certa, a sensível.

hfm disse...

1 abraco de Strasburgo.

amfm disse...

Que bom ter esses diálogos assim!
Pena já não se cultivar a Carte Postale:(

Bj

Maria Filomena Barata disse...

para ti, pelo que dizes, ficou um abraço no luar

Justine disse...

Belas as palavras, mais belo ainda o sentimento que elas abrigam. Amigo/a, o que nos des-cobre.

mena m. disse...

Uma amizade em porto seguro!

Que lindo este post!

Beijo

N.M. disse...

Por falar de mails, quando eu re-voltar a telefone fixo, ligo-te, Senhora.

Beijo e muito obrigado.

EDUARDO disse...

poderosa frase!! :-)
um beijo

jlf disse...

Verdade: há situações (palavras, imagens) que digerimos bem e com proveito. Outras, bem indigestas.

Isso: letras e tretas.

Tem razão a tua amiga: é notável o deslumbramento e o encanto que certos amigos conseguem transmitir ao nosso olhar.

Ana disse...

Também assomei ao teu postigo para ver as fotos e as letras, onde nos contas dos teus sentimentos.

E vim também para deixar-te um beijo.

rui disse...

Olá Bettips

Depois de uma ausência (de férias), estou com uma dose de dificuldade em entrar na rotina!

Gostei da tua perspicácia em vislumbrar "mais longe e mais preciso" a ideia da Ana Ramon.

Até logo no PPP.
Deixo um grande abraço

Teresa Durães disse...

os amigos, mesmo através de imagens, deixam-nos sonhar

Maria Filomena Barata disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Maria Filomena Barata says:
bettips, não vou estar mas não me esqueci. por isso te mandarei uma flor em pensamento. só não o faço agora porque sei que não se deve fazer .....

7:15 PM

M. disse...

(Porque o silêncio também pode ser presença)

TMara disse...

vim. e li tudo o que ainda não lera. vi tudo o que em mim vive numa suspensão de tempo.
e sempre me encanto com tua forma de dizer e ver. Bem hajas.
bjs de luz e paz desde os primórdios até ao fim dos tempos
Bom f.s

Sophiamar disse...

Os amigos são tesouros que devemos preservar. Dão tempero à nossa vida.
Para ti deixo beijinhos e o cheiro da alfazema da minha serra.

herético disse...

escrever é partilhar. sem dúvida. e como tal "responsabiliza"...

mas, por vezes, a tentação de "efeitos especiais" é grande. formas vazias. então.