quinta-feira, abril 30, 2009

Lateralidades







Ter entrado na porta ao lado em vez desta.

Tantas vezes o meu sentimento aloja-se (ou deixa-se alojar) em lugares/pessoas que nada têm a ver comigo. Flores esculpidas podem afagar-se com a ponta dos dedos, belas-frias, mas não são mais que pedra.

Dá para sorrir ironicamente da ambivalência das palavras e das mentes giratórias - em volta de si mesmas.
Saio das pensões do "não ser eu" combalida.
Com tanta vontade que se mudem lugares velhos.
Ou se tirem as redes das janelas.
Ou me mude eu deles - ou delas.

7 comentários:

Arabica disse...

Laterais à empatia?


Um abraço, Bettips!

legivel disse...

Não é fácil e leva tempo, que se mudem lugares velhos ou se tirem as redes das janelas. Enquanto isso (diria o outro - enquanto o pau vai e vem, folgam as costas) que o desalento não se leia nos nossos rostos.

Um óptimo 1º de Maio!
Claro que li o mimo na Rosa das Ventanias e fiquei e fiquei tão agradado e surpreendido ao mesmo tempo, que a minha-mais-que-tudo até me interpelou «Ó homem, até parece que os grandes calores já estão por aí! É que te estás a derreter... »

Beijinhos e sorrisos.

Filomena Barata disse...

hoje vão as minhas rosas para ti.

WOLKENGEDANKEN disse...

Sabes que sou grande adepta de mudar, em tudo , a comecar por novas perspectivas nas coisas que vemos e julgamos todos os dias. Muitas vezes tem aspectos inesperados e temos de mudar os nossos julgamentos- o que faz muito bem ..... a mente rejovenece :)))

tulipa disse...

Além do 1º de Maio, há uma outra data para comemorar: o meu "Momentos Perfeitos" faz 1 ano.
Convido-te a vires brindar comigo!

Bom fim de semana prolongado.

ESPREITA...e vê se conheces o restaurante onde estou à espera de todos vós, para fazermos um brinde!

Alien8 disse...

Que tu e as tuas janelas e portas laterais tenham tido um bom 1º de Maio, e continuem a ter um Maio florido.

Post lindíssimo.

Um abraço.

jl disse...

Estou a ler com outros olhos.
Porque o faço no dia em que a ditadura consumista declarou como o dia da mãe.
Aproveito o ensejo (pode ser um dia qualquer), sem que lhes dê especial ganho.

Daí o meu outro olhar - como noutro canto deixei expresso: a mulher-mãe.