terça-feira, março 24, 2009

Gerês e outros fogos









Apenas a estupidez e a voracidade dos homens,
o desplante, o desplaneamento (quero lá saber do acordo e do dicionário),
o desprezo.
Apenas as árvores que estavam de pé.

Apenas as pequenas coisas que se amam há muito, apenas a estupefacção do lume,
apenas os nossos olhos vidrados e impotentes.
Apenas a revolta.

Assistiremos aos plenários, às madeiras exóticas, às tecnologias que dominam os podres nos parlamentos. Assistiremos à falta das palavras úteis, das acções úteis.
Que fazer quando não se é conivente e tanto verde e tanta esperança perdemos?

Porque me lembrei muito dele, do nosso Parque "Nacional", repeti fotos de há anos!

23 comentários:

Maria disse...

Trouxeste-me belezas que não vejo faz tempo, e que não sei se voltaremos a ver como eram dantes...
Haverá sempre um recanto uma sombra um riacho que cantará para nós, quando lá voltarmos. E um verde que voltará a despontar. E uma flor. Para ti...

Beijos, Bettips

Licínia Quitério disse...

A estupidez e a maldade são dois nomes do mesmo monstro devorador de primaveras.
Tudo isto faz tanta pena...

Um forte abraço, B.

mena m. disse...

A ignorância e a estupidez e alguns ao servico da ganância e da falta de escrúpulos de outros, uma dupla fatal para todos os espaços verdes deste nosso planeta!

No fim pagamos todos a factura!

Belíssimas as tuas fotos!

Beijinho

Ana Patudos disse...

Só conheço o Gerês de fotos ou em revistas , mas pelo que me é dado conhecer´, é um paraíso que deveria ser preservado por todos , mas parece não ser o caso de quem lhe pôs fogo recentemente. É uma tragédia enorme o que se passa. Como é possivel o ser humano fazer tais actos e atrocidades. Choro por isso, de revolta e dor...
Fica bem
bjo
Ana Paula

heretico disse...

de incendiar consciências. teu texto...

("perco-me" no Gerês...)

beijo

Micas disse...

O "meu" Gerês tão belo que está a desaparecer... :(( Até quando???

Junto o meu grito ao teu.

Beijinho

Alien8 disse...

Bettips,

Que dizer?

Mais complicado ainda, Que fazer?

Parece não haver capacidade ou vontade ou ambas as coisas para impedir a destruição provocada pela ganância, afinal inerente ao sistema, em última instância por ele legitimada, por mais leis que se aprovem em contrário... Creio que me percebes bem - parafraseando o Jorge Palma...

Vão ficando as belíssimas fotos e o protesto, a que me associarei por link, já que é tempo disso. Para alguma coisa servirá(?) o meu selo "Zona de Concentração".

Um abraço.

Arabica disse...

Poderiam e deveriam ser fotos de sempre.


Seria perfeito, assim para sempre.


Renovando-se nos ciclos perfeitos da natureza, das estações.


Deveria ser mais que protegido.


Deveria estar a salvo.


E por cada curva de caminho que adivinho queimada, também eu ardo de impotência.


Obrigada pelas fotos, trilhamos as mesmas paisagens.

Restam-me poucas, as que salvaguardei por amor ao Gerês, no hi5.


Um abraço (lida a mensagem no nosso dealler de mensagens) :)

Meg disse...

Bettips,
É um crime aquilo a que estamos a assistir e não sei o que é mais revoltante... se a pouca cultura cívica num país de faz-de-conta, se a má-fé que ainda faz parte do carácter de muita gente.
Restam-nos fotografias como as tuas, para mais nos revoltarmos quando verificamos as perdas irrecuperáveis.

Um beijo

rach. disse...

Adoro o Gerês, tal como tu. As tuas palavras até seriam de incendiar (in)consciências lá na Assembleia, mas agora andam todos a visitar a casa branca em frente da rua Correia de Garção, a dar a sua opinião sobre as obritas na santa casa. E deves entender que há malat que não anda muito a pé...

1beijo

Filoxera disse...

Fizeste bem em repetir. São deslumbrantes.
Obrigada.

Teresa Durães disse...

adoro o gerês mas ainda não fui lá desde os fogos...

Justine disse...

As fotos, belas e tranquilas, mostram o que o nosso Gerês deveria ser sempre...
Que fazer? O que tu fizeste:
denunciar, desmascarar, dismistificar!Mesmo que pareça não ter consequências.

tinta permanente disse...

É o fado que lhe tocam, indifierentes, até que moribundo feneça...
Ah! quanto dói ser português...

abraços!

vida de vidro disse...

E deste-me a vontade de lá voltar. Talvez nas férias. Uma beleza extraordinária. **

Luisa disse...

Fico amargurada quando vejo uma árvore a arder. Porquê? Para quê?

mdsol disse...

Um grito mais do que justificado.
bjs

:))

Ruela disse...

pena o que fazem...o Gerês é um pedaço de paraíso.




Abraço.

dona tela disse...

Olá, tive uma ideia. Gostava de saber a opinião da Senhora.

legivel disse...

... para os vorazes e estúpidos o raciocínio é simples: "que interessa isso se nós não perdemos tempo a amar o belo ou a congeminar sobre efeitos devastadores na natureza (e no homem) em futuros que não viveremos? A nós o que interessa é o presente e o mais faustoso possível."

Não fosse eu boa pessoa e perguntaria "Mas não há quem os extermine?!" Perguntei.


beijinhos.

Filomena Barata disse...

Talvez a natureza, certeira e bela, os acabe por exterminar, sim.
Fantásticas as tuas imagens e o que nelas se espelha.

jl disse...

As imagens, como sempre: que perícia!
Das palavras direi o mesmo: que delícia!

M. disse...

"Longe da vista, longe do coração", assim diz o ditado... Pois assim acontece aos citadinos embrenhados em tecnologias distantes dos verdes campestres...