segunda-feira, novembro 19, 2007

Folhas





Antes das primeiras chuvas, foi preciso ir varrendo as folhas por aí.
Era mais que Outono passado.
Com estranheza reparo que a estátua da "Justiça" continua, imponente e cega, de costas para a luz.
As grades estão à mercê dos olhos próximos e nem a fluidez do rio os anima.
O tal sol cor de abóbora/laranja, pôr-se-á noutras paragens.

Tal como formigas que encontram uma gota de água inesperada, o carreiro dos pensamentos pode tomar (e toma) direcções diversas e caminhos espinhosos que desconhece.

Virar-se-á a folha, as folhas dos cadernos, das árvores, dos calendários. Este tempo aprendi que é o Futuro. Se usasse o Condicional, era um "virar-se-iam"; felizmente, confiamos em que a Natureza tenha os seus tempos e modos próprios.

33 comentários:

Anónimo disse...

Que mais no resta se falhar a confiança na natureza?
Virar as folhas é como quem diz: aceitar que todos os dias serão diferentes.
Bons dias E
I

Dulce disse...

São belas, as fotos deste nosso Outono tardio.
Beijos

Maria disse...

E o nosso tempo é Futuro, sim.....
As fotos são lindíssimas...

Beijinho

jlf disse...

Apesar de tudo (e é tanto), ainda bem que a Natureza mantém os "seus tempos e modos próprios".

Belas imagens. Texto sóbrio, mas interessante: as palavras fluem-te como as serenas águas do remansoso rio que fotografaste.

nnannarella disse...

De costas para a luz e para ela própria. - Tantas vezes não passa de um reino bárbaro.

Melhor o sol poente que nos inunda de Outono. Hoje a cidade estava de tapete esverdeado e ocre. O vento fez das suas. Uma delícia. Apetecia estar a colher fetos e cogumelos.

Maria P. disse...

E que a Natureza se mantenha firme, faz falta.

Obrigada pelo apoio no United Photos of the World, é bom ver os Amigos da Casa por lá.

Beijinho*

paper-life disse...

Se o homem ainda mantivesse a sua ligação à natureza viraria as suas folhas dia a dia num ritmo de nascer e por-de-sol. Se.

Bjs

Muito bom texto.mas isso tu sabes. :)

Ruela disse...

esta paisagem é bela todo o ano ;)

Teresa Durães disse...

a minha natureza anda mais natureza morta

beijos

Frioleiras disse...

(passa pelo meu canto...)

rui disse...

Olá Bettips

Que fotos!
Que cores! Esse Sol está de morrer! Lindo!
É tempo de Outono e as folhas voam em todas as direcções, tal como os nossos pensamentos, que por vezes se dispersam e se perdem a observar estes pequenos nadas; um pôr-do-sol enfeitiçado ou umas folhas amarelecidas a esvoaçar.

Abraço

Teresa David disse...

O Outuno faz-me reviver a angústia crepuscular que me acompanhou mts anos da minha vida e sómente volta nesta passagem dos dias cheios de sol para os outros, como o de hoje cinzentos. Sinto-me atada porque gosto de ir para a rua banhar-me de luz e agora só me resta ir amiúde ao cinema para a luz das estrelas...de cinema, e mergulhar nos livros e aconchego do lar onde sinto mais fundo que estou só, com os gatos.
Bjs solarengos
TD

hfm disse...

Outonalmente belo!

Metamorfose disse...

Atrasado o Outono, mas lá chegou e esperemos que fique pelo menos com alguma chuva. Lindas as fotos! Beijo.

ângela marques disse...

Obrigada pela visita:)
Voltarei!

legivel disse...

... cada vez mais cega e cada vez menos ao serviço de quem menos meios tem para dela se socorrer. Virada para a luz, seria um problema dos antigos...
A Natureza, pois. Até ela anda de costas viradas para nós que a tratamos com maus modos...



abraço.

Ana Patudos disse...

Que viva a chuva e o Outono, já faziam falta!
Sem água o Planeta não resiste!
BEIJOS
Ana Paula

Outonodesconhecido disse...

meu deus que lindo por-do-sol...

Fuser disse...

bettipps

tenho um fascínio enorme por pontes, adorei a imagem. e por folhas, adorei o texto.


beijos

Fuser

Lumife disse...

Porque nos encontramos amiúde nos comentários a amigos comuns arranjei hoje disponibilidade para conhecer este sítio.

A entrada foi-me franqueada por belas fotos e vou fazer uma caminhada para melhor me situar.

Convite para uma visita ao "Beja" onde normalmente encontra boa poesia dos nossos Poetas.

Saudações amigas

Pitanga disse...

Gosto das cores do Outono, mas é como um despedir de alguma coisa. Sim, a Natureza tem o seu tempo.

beijos em Primavera atípica.

Paulo disse...

Depois da chuva voltou o Sol a Lisboa. Apesar de tímido, reanima. Queremos chuva, mas não em demasia. Antes que nos deprimamos todos. Por mim falo. Preciso de Sol para a minha própria fotossíntese.

(Obrigado por todos aqueles comentários, Bettips.)

TINTA PERMANENTE disse...

A Justiça está ali, por acasos, mesmo viradinha para a Relação... No lugar dela, antes, estava o mercado do peixe!...
Devem ser sinergias do Acaso, penso eu...

abraço

herético disse...

"que a Natureza tenha os seus tempos e modos próprios"!...

uma frase que vale um tratado de filosofia (ou de Direito rss)

belo e inteligente! excelente.

mena m. disse...

Que belíssimo pôr-de-sol de outono!

Também nós vamos perdendo a folhagem deste ano, virando-nos um pouco para dentro neste tempo de reflexão e recolhimento, para voltarmos a florir na primavera, pois seja qual for a estacão da vida em que nos encontramos, há sempre uma primavera à nossa espera!
Um beijo

Betty Branco Martins disse...

____________fazes poesia com as tuas imagens


belas




cheias de



sentidos



e





sentires




caminho




pisando_________demansinho




as palvras



"soltas"




da tua






________poesia_____bucólica




beijO c/ carinhO

arturibeiro disse...

bonitas fotos, neste bloco de folhas, sempre a renascerem. bem-haja.

hfm disse...

Obrigada pelas muitas palavras que deixaste lá pelos blogues. Gostei. Muito.

Chat Gris disse...

:)

João de Sousa disse...

a justiça não pode mexer-se, para não desequilibrar os pratos da balança (F. Kafka)

Frioleiras disse...

as folhas , a natureza....


(querida Bettips, fiquei-me com o
"Frioleiras"...

necessidade de me sentir no meu "canto" ...).

bjs

M. disse...

O teu olhar atento. Uma vez mais. Gostei muito.

teresamaremar disse...

Outono... gosto tanto!

deixo beijo de bom fim de semana