quinta-feira, novembro 08, 2007

Viena e Klimt






Tinha sido um ano difícil, esse.

Assim, a recordação de Viena brilha tão presente como se a viagem de 2000 fosse ontem e o resto do ano tivesse obscurecido. Exactamente um sereno intervalo de Outono em que, durante alguns dias, esqueci meses. Onde gosto de estar, em longe e belo.

Há muito e para sempre apaixonada por Gustav Klimt, a cidade esperava-me e eu esperava-a com um certo alvoroço. O Danúbio "Azul", os bosques, a opulência imperial, reminiscências de Oriente nas suas cúpulas e telhados coloridos, as expressões de Arte Nova na decoração dos prédios e dos palácios, os jardins, as vinhas nas colinas às portas da cidade.

A Secession (Viena, 1898: "A cada tempo a sua arte e à arte a sua liberdade") conserva o "Friso de Beethoven" num mural refeito e conservado, numa sala à parte. O Belvedere possui as belas telas iluminadas a ouro, de mulheres, folhas, peixes, véus.

"O Beijo" foi uma foto tirada disfarçadamente, sentada em minutos maravilhados: podia lá eu estar perante um sonho antigo sem o tentar reter...

3 comentários:

Maria disse...

Perco-me aqui, a olhar as fotos.....
(e a ler-te, claro)...

Beijinho

Perdido disse...

Klimt e bettips: um beijo (disfarçado).
:)

jawaa disse...

Meu Deus, há quanto tempo eu não vinha aqui...! Como é possível?
Sabes, quando estou empenhada noutros quefazeres, limito-me a vir aqui ver o correio, olho sempre o Chatgris da minha filhota que todos os dias lá põe «bonecos», vou inventando algo para manter o meu blog vivo e limito-me a agradecer a quem me visita.
Até o PPP me tira o sono, mas acho que a generosidade da M. merece tudo.
Desculpa o longo comentário, mas Viena tirou-me a fala.
Que bom teres tempo para digitalizar fotos antigas, que bom o teu desejo de mostrar, através da tua sensibilidade ímpar, as coisas lindas do mundo- o teu Klimt que eu notei mal te encontrei.
Um abraço forte.