domingo, abril 20, 2008

Ilha - Quadros da distância I













Águas no mar, águas em terra.

Volúveis as nuvens, trazendo a misteriosa humidade do Norte e a floresta laurissilva a bebê-la por séculos. O mar a ver.

Enquanto algum equilíbrio se mantiver e a Natureza puder mandar, castigar e recompensar.

Na sua imensa generosidade.

5 comentários:

rach. disse...

Sob o signo da água... e das flores (do Bem, espero eu)
Mim, tem estado sob o signo da "ausência"

:0)

um beijo

Justine disse...

A ilha estava carrancuda(zangada com quem??), mas sempre bela.
O teu olhar também sabe ver, para além do óbvio

mena m. disse...

Fantásticas estas fotografias do casario, a chuva a avivar o vermelho dos telhados, favorecendo o contraste com os cinzentos do céu!

As casinhas típicas não deixam de ser mais belas por causa da chuva, atrás de uma delas um gancho de árco-íris, a prender-lhe o véu de núvens!

E claro o mar, ora azul a esparaiar-se nos calhaus pretos da praia, ora escuro com laivos de raiva vermelhos, de tão furioso...

Gosto muito!

M. disse...

Casinhas de histórias de meninos...

jlf disse...

Que espectáculo as imagens!
Que soberbos os dizeres!