terça-feira, abril 29, 2008

Um pormenor








Tema da foto da semana no PPP.
Que poucas vezes no momento da palavra surge a imagem, rápida!
Aqui, a mão-pedra-doente, ainda agarrada a uma taça vazia.
De onde vem? era preciso perguntar. Eterna ficará, com uma lágrima negra.
Foi esse o meu pormenor, visto algures entre o cão atento e as grades.
As folhas? Essas renovar-se-ão em todas as estações.
E a propósito, surge-me uma cadência:

"A mão afaga, atende, segura, desprende
A mão flutua, a mão afunda
A mão acontece, desaparece

A mão, sem poema ou ou pretensão
a mão estende-se e
encontra-se.
Ou não!"

8 comentários:

mena m. disse...

Bettips,
descobres sempre pequenas maravilhas!

O cão, a coroa, as armas, a taça, a mão! E as raízes, uma escultura viva!

Seria mesmo interessante saber de onde veio essa mão...

beijinho

despertando disse...

"A mão, sem poema ou ou pretensão
a mão estende-se e
encontra-se.

Ou não!"
A minha está aqui estendida para ti.
Beijo meu

Maria Filomena Barata disse...

Toma lá outra mão semeada de palavras.

legivel disse...

... estar atento aos pormenores faz tantas vezes a diferença...

Sem eles, o todo não teria sentido e os meus olhos deixariam de se exercitar. Que é coisa que detestam. Perseguindo histórias fictícias com gente à séria dentro, é assim que se sentem bem.

abraço.

Entre linhas... disse...

Pequenas maravilhas feitas do mais simples,mas com uma óptima visão.
Bom Feriado
Bjs Zita

herético disse...

uma mão busca sempre outra mão.
mesmo quando tacteia no escuro...

jlf disse...

A mão.
A que tanto dá como, muitas vezes, tira...
Claro que algumas só sabem declinar o verbo dar... Outras... Mais não fazem que tirar.

APC disse...

A mão estende-se e encontra-se [noutra mão]... Ou não!

Bonito paca! :-)

A imagem, essa é brutal! Já a havia visto e apeteceu-me dizê-lo.

Um abraço.